Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linha White

Os Protectores Solares: São Seguros, Eficazes e Suficientes?

Existem inúmeras evidências sobre o impacto negativo da radiação solar na saúde humana, nomeadamente no sistema imunitário, no aparecimento do foto envelhecimento cutâneo (envelhecimento provocado pela exposição à radiação solar) e no desenvolvimento de cancro de pele. Isso tem levado a uma maior preocupação em encontrar formas de proteger a pele da radiação e a um aumento da popularidade da utilização de filtros solares – os chamados Protectores Solares. Mas será que são eficazes ou, mais importante ainda, será que são seguros e suficientes?

Apelidam-se de “Protectores solares” às substâncias sob a forma de cremes, leites, batons, sprays que têm a capacidade de absorver e/ou reflectir a radiação solar, impedindo que esta lese as células cutâneas.

Quando falamos em eficácia temos de ter em conta vários factores: capacidade real de reflectir ou absorver a radiação implicada (ultravioleta B e ultravioleta A obrigatoriamente); estabilidade química do produto sob a acção dos raios solares (foto estabilidade) e resistência à água e transpiração (remanescência do produto). E claro, quantidade de produto aplicada (uma quantidade pequena não serve para nada!).

Quando falamos em segurança queremos respostas a outros problemas: qual a absorção sistémica destes produtos; qual a sua capacidade de provocar ou desencadear alergias; será que são carcinogénicos (contém substâncias químicas indutoras de cancros de pele) e será que evitam ou (pior) desencadeiam cancro de pele?

 

 Tan

 

Os conhecimentos científicos existentes até ao momento permitem-nos responder a estas questões com alguma confiança, existindo alguns filtros solares no mercado que têm um bom índice de protecção UVB e UVA, são foto estáveis, pouco alergogénicos,  com reduzida absorção sistémica e com um bom grau de remanescência, garantindo uma protecção razoável se correctamente aplicados (em quantidade e frequentemente).

Mas falta a resposta a uma questão de particular relevância: será que são suficientes? A resposta é claramente NÂO. O uso de filtros solares faz parte das medidas de protecção solar que temos ao dispor (sendo importantes para proteger a pele descoberta no dia a dia, por exemplo), mas não substituem duas outras medidas fundamentais: a evicção da exposição solar nas horas de maior intensidade de radiação (das 12h às 16h) e a utilização generalizada de roupa, chapéus e óculos escuros de protecção sempre que necessário.

Preparado para o Sol?

 

Leonor Girão

Dermatologista