Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linha White

PROTECTORES SOLARES

OS PROTECTORES SOLARES:

Afinal, o que são, como se utilizam?

 

Os Protectores Solares ou Filtros Solares são produtos que têm como função diminuir os efeitos da radiação solar sobre a pele.

Dividem-se em filtros químicos (orgânicos), écrans físicos ou minerais (inorgânicos) e compostos anti-oxidantes (fotoprotectores biológicos), consoante as substâncias existentes na sua composição. Actuam por absorção e/ou refracção da radiação solar, impedindo a lesão das estruturas da pele.

Existem produtos sob a forma de leite corporal, gel, creme, em spray ou em stick, adaptáveis às diferentes áreas do corpo e também em comprimidos. 

Muitos têm elevada eficácia na protecção contra os UVB, mensurável através da capacidade de prevenir a queimadura solar , mas eficácia muito inferior para a radiação UVA, a qual é muito importante na indução do cancro de pele. Daí que não seja correto falar de “écran total”, designação que foi abandonada pelas entidades reguladoras europeias e americanas.

 

O Factor de Protecção Solar  (FPS) ou Indíce Numérico que existe nas embalagens dos protectores, representa  a razão entre o tempo que demora a aparecer uma queimadura solar quando usamos o protector solar e o tempo que demoraria se não usássemos nada. Este valor é obtido em condições artificiais, de laboratório, com quantidade de produto aplicado naturalmente muito superior ao que habitualmente se aplica na praia. Portanto, se virmos um IPS de 50 isto não significa que podemos estar 50 vezes mais tempo ao sol!!! Na realidade, a protecção será aproximadamente de 1/3 desse valor e o FPS só representa protecção para a queimadura solar (não representa protecção real do cancro de pele).

 

A aplicação do produto 15 a 30 minutos antes da exposição e uma reaplicação precoce 15 a 30 minutos após o início da exposição solar, é essencial, para a eficácia protetora. Devem ser aplicados de forma generosa, não esquecendo os lábios, os pavilhões auriculares (orelhas), à volta dos olhos, couro cabeludo (nas pessoas calvas), pescoço, mãos e pés. A sua maior ou menor eficácia em proteger do sol está directamente relacionada com a sua composição e forma de utilização/aplicação. Uma má aplicação reduz consideravelmente a sua capacidade de protecção.

Os Protectores Solares, ao inibirem a queimadura, poderão dar uma sensação de falsa segurança e não devem ser usados para proporcionar exposições ao sol mais prolongadas. Procure uma sombra ou cubra-se com roupa ao fim de 2 horas de exposição.

 

Finalmente uma última palavra para o mito do bronzeado.  Não há bronzeados “saudáveis”.  Este é simplesmente a resposta da pele à lesão provocada pelos raios solares com aumento do pigmento, pele seca, espessada e com rugas.  Quanto mais sol, mais depressa se envelhece...

 

Leonor Girão

Dermatologista