Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Linha White

Enfrente o ano novo com optimismo!

Todos os dias nos deparamos com noticias ou comentários sobre a recessão económica. Tem-se tornado tema muito debatido, surgindo frequentemente em conversa com amigos, em reuniões de trabalho ou às refeições com a família. Seja onde for este assunto é o centro das atenções. A esta situação acresce ainda o desemprego e as dificuldades familiares que aumentam exponencialmente.

Como podemos manter o equilíbrio emocional durante este período?

 

1.  Foque-se naquilo que pode controlar

Aquilo em que nos focamos pode mudar radicalmente a forma como nos sentimos. Pode não ter controlo sobre a situação económica do país, mas com certeza terá sobre alguns aspectos da sua vida e inclusivé poderá ter sobre a sua própria situação económica. Se já fez tudo o que está ao seu alcance, então, será que vale a pena preocupar-se tanto com aquilo que não controla? 

 

2. Estabeleça prioridades

Comece por clarificar o que é realmente importante para si. Podemos escolher perceber que as pessoas de quem mais gostamos são mais valiosas do que algo que nos faz andar constantemente stressados e sobre o qual não temos controlo. Saiba apreciar aquilo que tem e perceba o que é mais importante na sua vida.

 

3. Partilhe as suas preocupações

A nossa família e amigos são muito importantes na nossa vida. São eles que nos dão sentido à vida e que nos prestam o apoio mais imediato em alturas de crise. Não se isole! Crie e desenvolva a sua rede de contactos. Participe em encontros, almoce com colegas de trabalho e procure antigos amigos da escola ou da faculdade. 

 

4. Deixe de se lamentar

Continuar a lamentar-se sobre os problemas económicos ou a comentar as más noticias vai melhorar a situação? Se chegou à conclusão que de nada adianta, então aproveite para fazer algumas actividades que possam estar ao seu alcance. Se perdeu o emprego envolva-se em acções que o façam sentir-se útil e melhor consigo mesmo. Procure verificar se existem algumas competências que precisa melhorar. Veja a sua situação como uma oportunidade e aproveite para aprender!

 

5. A situação irá restabelecer-se

A crise não será eterna... Como sabe a história irá repetir-se e a nossa economia vai recuperar, como em todas as crises. Depois da tempestade virá a bonança! E não se esqueça que não está sozinho, estamos todos no mesmo barco.

  

6. Veja os benefícios

Existem oportunidades em tempos de crise. Por exemplo, se for o caso de ter menos dinheiro, pode servir para perceber que consumia muitos produtos desnecessariamente.

 

7. Abandone o medo

De que lhe vale estar ansioso e aborrecido? Corre o risco de entrar num ciclo pessimista, inibindo a sua criatividade e deste modo qualquer solução que possa ser viável para resolver a sua situação económica. Quanto mais medo temos, menos nos atrevemos a tomar decisões e mais difícil será sairmos desta crise.

 

8. Mude o seu vocabulário

As palavras que usamos têm impacto naquilo que sentimos. Se disser a si mesmo que “está tudo perdido” com certeza terá sentimentos de desesperança, tristeza e frustração. Expressões como esta agravam ainda mais o nosso mal-estar, mantendo-nos focados no medo em vez de nos permitir pensar em soluções.

 

9. Escolha sentir-se bem!

Aceite a situação. Afinal que mais pode fazer? Atenção, que aceitar não significa resignar-se ou tornar-se vulnerável. Significa perceber que é na realidade a nossa situação actual. Porque não focar-se intencionalmente no que é importante para si, naquilo que o faz sentir bem, que lhe traz alegria e motivação? Estamos todos os dias rodeados de oportunidades para sermos felizes mas é preciso olharmos para elas. A escolha está nas suas mãos! Pode continuar a sentir medo, mas porque não escolher experienciar esperança e gratidão? Reconhecer que tem capacidade para viver a situação de crise de uma forma diferente, mais optimista, também pode ser uma opção.

Quando mudamos o significado de algo para nós, isto é, quando mudamos a nossa interpretação, mudamos as nossas emoções.

 

 

Desejo-lhe um novo ano de tranquilidade e bem-estar! Fique bem. 

 

Catarina de Castro Lopes 

Directora Clínica de Psicologia da White