Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Dente escurecido - o que fazer?

Olá a todos!

 

Antes de mais os meus sinceros parabéns a toda a equipa da WHITE. Os trabalhos que voces realizam são, de facto, excepcionais.

 

A minha pergunta prende-se com um dente escurecido que tenho no maxilar superior. Este dente da frente foi desvitalizado há anos, e foi reconstruido com massa branca. O que acontece é que tem vindo a escurecer. O que fazer?

 

Obrigado

 

Antonio F.

 

 

 

Saúde, Função, Estética

A sociedade actual vive de forma intensa o culto da beleza. Todos nós acabamos por sofrer na pele os efeitos dessa pressão social. Um sorriso mais branco e luminoso, uma pele mais perfeita e bronzeada ou um corpo mais tonificado, são exemplos daquilo que a maioria das pessoas procura, em busca da perfeição que se vê nas revistas, na televisão, no cinema, nos media. As pessoas tornaram-se mais atentas e cuidadas no que toca à aparência, e isso acaba por se reflectir em vários aspectos do nosso dia-a-dia. A procura por tratamentos estéticos (quer em Medicina Dentária, quer em inúmeras outras áreas) tem vindo a aumentar a cada ano que passa, e não parece dar sinais de estar a abrandar.

 

Temos actualmente ao nosso dispor uma panóplia de tratamentos estéticos que permitem resolver praticamente todas as situações: aparelhos ortodônticos, branqueamentos dentários, facetas e coroas em cerâmica, resinas compostas de ultima geração, etc. Não podemos, no entanto, esquecer que existem prioridades em termos de planeamento do tratamento, e que uma boca doente jamais será boa candidata a tratamentos estéticos. Má higiene oral, problemas gengivais, dentes em falta, cáries ou desvitalizações mal executadas, poderão impossibilitar a obtenção de um sorriso estético e harmonioso.

 

Uma boca com peças em falta é, também, dificilmente estética. A estética baseia-se em vários princípios: harmonia, simetria, invisibilidade, mimetização, etc. Um ou mais dentes ausentes deitam por terra estes princípios. Um sorriso estético, deve ser, antes de mais, saudável e funcional.

 

Inverter estas prioridades, traz geralmente maus resultados. Se fizermos um paralelo, será algo como construir uma mansão fantástica em cima de um terreno de areia movediça, com pilares fragéis. A casa poderá ficar linda e confortável, mas por um tempo limitado. Assim que a força mastigatória e a biologia começarem a actuar, tudo cairá por terra, e os problemas orais irão surgir.

 

Assim sendo, considere sempre estas prioridades quando visitar o seu Médico Dentista, ou quando procurar tratamentos estéticos. Se tiver uma boca saudável e funcional, a estética acaba por vir por acréscimo, e por ser bem mais fácil de obter.

 

Por Dr. Ricardo Alho, Médico Dentista - departamento de reabilitação oral na Clínica WHITE

Reabilitação oral

 

 

Antes do tratamento

 

Tratamento aplicado

Areas Envolvidas: Higiene oral, endodontia, reabilitação oral, implantologia

Numero de consultas:

1-      Higiene oral + Endodontia

2-      Cirurgia para colocação de implantes

3-      Remoção de suturas e observação

4-      Passados 2 meses : impressões

5-      Prova das estruturas

6-      Cimentação do caso, higiene oral e fotos finais.

 

Depois do Tratamento

 

Todo o tratamento foi feito em 6 consultas, num intervalo temporal de 3 meses. Uma paciente desdentada total na maxila voltou a ter dentes fixos após 35 anos a usar uma prótese, tendo sido feita a reabilitação total do aparelho mastigatório, não só na maxila, como também na mandíbula. “Não existem meios sorrisos!”

 

A Equipa da WHITE

 

 

Desvitalizações

Bom dia,

 

Faz um ano que desvitalizei um pré-molar (mandibula superior). Embora eu me tenha queixado em tempo real (i.e. aquando do processo) de sensibilidade do dente à medica, esta simplesmente nada fez, pelo que fechou o dente. 7 meses depois voltei a queixar-me do dente sendo que me foi dito que tinha uma carie. Foi restaurado, com um parafuso. Voltei a sentir um desconforto, e cresceu um pequeno granulo no osso, na raíz do dente. Depois de efectuar um radiografia, após sucessivas queixas a outro medico, foi-me dito que a desvitalização não tinha sido bem feita e que podia re-desvitalizar o dente. No entanto, consultei outras opiniões de outros profissionais me disseram que seria dificil retirar todo o cimento até chegar à raíz e que o melhor seria portanto tirar o dente definitavemente (visto que não apresenta infecção nem quisto). Não queria de forma nenhuma tirar o dente, mas simultaneamente tenho dúvidas sobre a viabilidade do processo e receio de acumular problemas em relação ao osso impedindo-me de colocar um implante. O re-tratamento é possível nestes casos com elevada percentagem de sucesso ou não?

 

Cumprimento,

 

Liliana Silva

 

 

Tratamento de toda a boca

Bom dia,

 

Antes de mais, gostaria de vos felicitar pelo trabalho que têm vindo a desenvolver. Sempre vi o vosso programa de televisão (até 2008, a terceira série), e sonhei em um dia ter a boca tratada. Tenho vindo a fazer pequenos tratamentos, "remendos", mas nunca consegui ter a boca efectivamente tratada. Neste momento, tenho 42 anos, penso ter uma boa imagem, mas a boca não acompanha. O que poderão fazer por mim?

 

Faltam-me 3 dentes no maxilar inferior (2 atrás do lado esquerdo, e um mais à frente, do lado direito), e tenho dentes desvitalizados que me doem de vez em quando. Simultaneamente, tenho os dentes escurecidos, do tabaco, e alguma inflamação permanente nas gengivas (sangram diariamente). O que poderão fazer por mim no caso destes?

 

Obrigada!

 

S. Martins

 

 

A importância do dique de borracha!

O isolamento absoluto dos dentes que se querem tratar, tanto para eliminação de uma lesão de cárie, como uma endodontia ou mesmo para a colocação de um trabalho de prótese fixa, entre outros, é de extrema importância para o sucesso do tratamento

 

É um meio utilizado para isolar um ou mais dentes, proporcionando um campo operatório limpo, seco e ideal, possibilitando a visibilidade máxima da área a ser tratada, protegendo os lábios, a língua e as bochechas do paciente e eliminando a presença de humidade, sem causar desconforto ou dor ao paciente.

 

Apresenta inúmeras vantagens, nomeadamente: 

1. Manter o campo operatório limpo e seco: o médico consegue melhorar o seu desempenho, havendo um menor risco de problemas pós-operatórios provenientes da contaminação com os fluidos bucais. O tempo ganho a trabalhar num campo limpo e com boa visibilidade, compensa o tempo gasto para a colocação do isolamento absoluto.

2. Melhor acesso e visibilidade do/s dente/s a tratar.

3. Aumenta as propriedades dos materiais: os materiais restauradores diminuem as suas propriedades físicas se utilizados num campo húmido.

4. Protecção do paciente e do médico: impede o paciente de engolir ou aspirar pequenos instrumentos, produtos provenientes dos procedimentos restauradores ou qualquer outro tipo de elemento estranho, protege os tecidos moles da irritação e danos causados pelos materiais e instrumentos utilizados. O médico fica protegido de possíveis  infecções presentes na boca do paciente.

5. Redução da contaminação, o isolamento absoluto reduz sensivelmente a contaminação ambiental durante o tratamento dentário.

 

Apesar de não ser utilizado por todos os dentistas, o isolamento absoluto deveria ser prática comum devido a todos os benefícios que permite para o sucesso a longo prazo de um tratamento dentário.

 

Imagem de um dique de borracha montado:

 

 

 

 

 

Desvitalização e Coroas em Cerâmica

 Boa tarde,

 
Encontrando-me actualmente a fazer um tratamento periodontal que envolve cirurgias dos quadrantes posteriores (os blocos anteriores não serão objecto de cirurgia dado a infecção se encontrar controlada, e a mobilidade ter melhorado na sequência de curetagens sub-gengivais), e após ter ouvido opiniões distintas sobre a colocação de coroas vs desvitalização dos dentes a intervencionar, solicito a vossa opinião no sentido de saber se é realmente obrigatório desvitalizar os dentes (sãos) onde pretendo colocar as coroas (todas em cerâmica).
 
Acrescento que, a opção das coroas prende-se, naturalmente, com o aspecto estético dos dentes, dado a gengiva ter retraído (face à doença periodontal), e após a minha médica me ter dito que a periodontite está a evoluir favoravelmente, isto é, a mobilidade dos dentes decresceu substanciamente e as gengivas já possuem um aspecto bem mais saudável.
 
Agradeço a vossa atenção e subscrevo-me com estima.
 
 
 

Retratamento endodontico

Boa tarde,

 

Qual a necessidade de voltar a desvitalizar um dente que já foi desvitalizado anteriormente? A minha dentista disse-me que tenho um quisto à volta da raiz de um dos meus dentes desvitalizados, e, como tal, pretende voltar a efectuar o tratamento. É suposto isto acontecer em dentes desvitalizados? E o quisto vai desaparecer com a nova desvitalização? Não seria melhor tirar o dente e por um implante?

 

Obrigado

 

João Sousa

 

 

Boa tarde João,

 

Um dente incorrectamente desvitalizado é sempre um possivel candidato ao desenvolvimento de patologias periapicais (quistos, granulomas, etc, que se desenvolvem em torno da raiz do dente). Tal poderá acontecer por inumeras razões, das quais destacaria o não cumprimento de regras de isolamento (durante a desvitalização, o dente deverá estar isolado por um dique de borracha, que impede a passagem de fluidos entre a cavidade oral e o interior do dente), a incompleta preparação dos canais radiculares (os canais existentes dentro das raizes dos dentes, onde está a polpa dentária), e a obturação / encerramento ineficaz destes mesmos canais, no final da desvitalização.

 

O retratamento endodontico (remover todo o material que foi colocado no interior dos canais, limpar todo o conteudo dos mesmos, desinfectar e preencher toda a raíz até ao ápex / extremidade do dente), tem uma alta taxa de sucesso, e poderá levar ao completo desaparecimento dessa mesma lesão, pelo que será o mais indicado. Se este se revelar ineficaz, poderá ter de ser efectuada uma cirurgia periapical (abre-se uma pequena "janela" na gengiva e no osso subjacente, limpa-se toda a lesão, preenche-se com osso artificial, e encerra-se). Só perante o insucesso do retratamento endodôntico e da cirurgia periapical é que será recomendável a extracção do dente e posterior colocação de um implante dentário. Lembre-se que o melhor implante é o seu próprio dente!

 

Assim sendo, recomendamos que procure um Médico Dentista com formação específica na área da Endodontia,que lhe poderá efectuar um tratamento com alta taxa de sucesso, desde que feito segundo todas as normas científicas actuais, e com os materiais adequados.

 

Esperando ter respondido à sua questão

 

Atenciosamente

 

A Equipa da WHITE