Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Depressão Sazonal

No Outono ou Inverno podemos sentir vontade de dormir mais, optar por comidas mais fortes (doces e hidratos de carbono) e apresentar mudanças na nossa energia e motivaçao diária. Todas estas alterações se manifestam de diferentes formas entre as pessoas, no entanto, só podemos afirmar que se trata de depressão sazonal quando estas mudanças passam a apresentar problemas significativos no nosso dia-a-dia.

 

1. O que é a Depressão Sazonal?

A caracteristica principal é o inicio e a remissão de episódios depressivos em alturas particulares do ano. Na maioria dos casos os episódios começam no Outono ou no Inverno e desaparecem na Primavera.

 

2. Quais os principais sinais de alarme?

Os episódios de depressão sazonal são frequentemente caracterizados por alterações do sono e apetite, insónia ou sono prolongado, exaustão e fraqueza, isolamento ou irritabilidade, dificuldade de concentração, raciocinio lento, ataques de choro, angustia e por vezes surgem pensamentos suicidas.

  

3. Por que motivos ocorre?

O conhecimento dos mecanismos da influência da luz sobre a melatonina e a serotonina permite concluir que a depressão sazonal parece estar mais relacionada com um processo biológico do que psicológico. Acredita-se que esta perturbação esteja relacionada com o aumento de luz e temperaturas elevadas, pois a luz influencia o nosso relógio biologico interferindo nos ciclos de vigilia e sono, mas também no humor.

A idade também parece desempenhar o seu papel, na medida em que este é um problema mais comum a partir dos 25 anos, sendo muito raro abaixo dos 20. É também mais frequente entre o sexo feminino pois compreende 60 a 90% dos casos, embora no sexo masculino os sintomas possam ser mais acentuados.

A depressão sazonal é pouco diagnosticada, no entanto, quando não tratada pode ter consequências tão graves como a depressão propriamente dita, reconhecida como uma doença do foro psicológico.

 

4. Que soluções existem?

Apesar da depressão sazonal estar essencialmente ligada a mecanismos biológicos, o processo psicoterapêutico pode ser bastante útil para ajudar a lidar com as mudanças de humor, sentimentos e comportamentos associados. Se os sintomas forem severos deve recorrer a ajuda psiquiatrica em complementariedade.

Se começar a sentir alguns dos sintomas indicados opte por recorrer à psicoterapia evitando que se instale a depressão.

 

 

Catarina de Castro Lopes

Directora Clinica de Psicologia na White

 

 

 

 

Boa Disposição no Verão?

O Verão é tipicamente a altura do ano desejada por uma grande maioria, pois faz lembrar férias, lazer, tempo livre, descanso e viagens.

Pode parecer estranho mas nesta altura do ano algumas pessoas não apresentam a boa disposição expectável. Pelo contrario, sentem-se mais ansiosas, irritadas, perdem o apetite e têm dificuldades em manter um sono descansado.

No Verão, podem surgir alguns sintomas como insónia, perda de apetite, alterações de humor e agitação. Acredita-se que estas alterações de humor no Verão estejam relacionadas com o aumento de luz e temperaturas elevadas, pois a luz influencia o nosso relógio biológico interferindo nos ciclos de vigília e sono, mas também no humor.

Claro que todas estas alterações se manifestam de formas diferentes entre as pessoas, no entanto, quando estas mudanças passam a apresentar problemas significativos no dia-a-dia é importante procurar ajuda especializada pois poderá tratar-se de uma Desordem Afectiva Sazonal.

 

O Stress das Férias

As férias de Verao podem ser uma fonte de stress para algumas pessoas.

 

1. Dificuldades Financeiras. Quando pensamos em férias muitas vezes planeamos sair de nossa casa e ir para um local diferente do habitual o que implica algum investimento monetário. Pessoas com dificuldades financeiras podem sentir dificuldades na sua concretização o que pode levar a sentimentos de frustração.

 

2. Companhia. Por outro lado, as férias são habitualmente passadas ao lado dos que nos são mais próximos (conjuge, familiares e amigos), pelo que aqueles que se sentem sozinhos podem ficar mais perturbados nesta altura do ano.

 

3. Insatisfação Corporal. No Verão existe também uma grande preocupação com o corpo, uma vez que está habitualmente mais exposto. A insatisfação com a aparência fisica pode levar ao evitamento de algumas situações sociais (p.e. ir a praia ou festas) e consequentemente ao isolamento.

 

4. Novo Ritmo. Existe uma necessidade inerente às férias de nos adaptarmos ao novo ritmo de sono e de alimentação, à mudança de local, actividade fisica diferente, ao convívio condensado com quem nos desabituámos de lidar, ao confronto com expectativas sociais que idealizam capacidades relacionais e exigem corpos esculturais.

 

 

 

Algumas Dicas para o seu bem-estar nas Férias

 

1. Planeie as suas férias com tempo. O que realmente quer fazer, com quem quer ir, quanto dinheiro pode gastar e que obrigações nao quer ter nesse periodo.

 

2. Faça exercicio fisico moderado (em alturas do dia de menos calor). Está provado que o exercicio fisico melhora o funcionamento cerebral, pois aumenta os niveis de endorfinas deixando-o mais bem disposto. Nao precisa de encontrar ginasio ou personal trainer, basta uma caminhada diaria de 30 minutos.

 

3. Durma entre 7 a 8h por dia. É durante o sono que o cerebro integra as experiências, aprendizagens e processa emoções, adquirindo melhor disposição para o dia seguinte.

 

4. Siga um padrão alimentar regular. Procure fazer 3 refeições principais e 3 refeições secundárias (lanches) por dia e não deixar passar mais de 3 horas entre elas.

 

5. Socialize. Procure ter qualidade de tempo com os seus amigos e familiares.

 

6. Cuide do seu bem-estar. Respeite as suas necessidades para que possa conviver em maior paz e harmonia. Procure actividades que lhe proporcionem prazer e bem-estar.

 

7. Relaxe. Considere a possibilidade de incluir na sua rotina diária algum tipo de relaxamento, que possa funcionar como uma descompressão de energia negativa acumulada. Pode praticar meditação, ioga, fazer massagens ou outras actividades.

 

8. Viva cada momento. Não se esqueça que é no presente que a vida se desenrola. Deixe de viver as suas preocupações ou obrigações.

 

9. Reflicta. Quando se começar a sentir angustiado, por pensar que as férias estão a terminar, aproveite para direccionar o raciocínio de uma forma construtiva: O que gostaria de modificar? O que gostaria de experimentar de diferente? O que pensa poder aumentar a sua qualidade de vida? Assim, em vez de permitir que se instale um humor melancólico, poderá estar a canalizar as suas energias de uma forma verdadeiramente útil para si. A pausa das férias constitui um bom momento de distanciamento crítico, que nos permite olhar para as coisas com novas perspectivas e, por vezes, encontrar soluções simples e práticas para problemas do dia-a-dia.

 

Desejamos-lhe umas óptimas férias!

 

 

Catarina de Castro Lopes

Directora Clínica de psicologia na White