Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Cancro & Saúde Oral

Radioterapia e quimioterapia são os tratamentos mais comuns no cancro da cabeça e pescoço. Apesar destes serem eficazes na erradicação do tumor, têm, também, um impacto negativo nas estruturas da cabeça e pescoço que rodeiam o tumor. Danos diretos nas estruturas orais (tecidos moles e duros) ocorrem frequentemente devido às terapias.

As complicações orais da radiação da cabeça e do pescoço e quimioterapia podem comprometer a saúde e qualidade de vida. Cuidados médicos orais antes, durante e após tratamento de cancro podem prevenir e reduzir a incidência e severidade das complicações orais, melhorando a qualidade de vida.

 

As complicações orais comuns à radioterapia e quimioterapia passam por:

  • Xerostomia – sensação de boca seca devido a uma diminuição de produção salivar.
  • Paladar – alterações no paladar, tais como perda de sabor.
  • Malformações dentárias – caso seja submetido a quimioterapia antes dos 9 anos.
  • Infeções
  • Boca e gengivas doridas

 

Relacionadas com a Quimioterapia:

  • Sangramento – devido à diminuição das plaquetas e fatores coagulantes.

 

Relacionadas com a Radioterapia:

  • Cáries – elevado risco de caries de rampante (que surgem muito rapidamente), como consequência da diminuição da quantidade de saliva
  • Trismos – perda de elasticidade dos músculos mastigatórios, que impede uma grande abertura da boca

 

Com uma avaliação oral previamente ao tratamento a equipa médica dentária pode identificar problemas como infeções, fraturas, restaurações e problemas periodontais que podem contribuir para complicações orais quando a terapia contra o cancro for iniciada. Esta avaliação é importante também para estabelecer a situação inicial e comparar com o aparecimento e progressão dos problemas orais ao longo do tratamento.

É importante controlar a sua saúde oral, fazendo visitas regulares ao seu higienista oral e manter uma boa higiene em casa. É importante utilizar sempre pastas dentífricas com flúor e dar golos de água regularmente para melhorar a boca seca.

A aplicação de produtos fluoretados é importante posteriormente à radioterapia, uma vez que irá ajudar na prevenção e progressão de cárie dentária.  

O Cancro e o seu sistema de defesa

 

Sabia que neste momento tem 3 a 4 potenciais células cancerígenas no seu corpo

 

Sabia que existem várias células cancerígenas activas no seu organismo?

“Cuide“ do seu sistema imunológico para ele se manter capaz de as eliminar eficazmente.

A WHITE disponibiliza-lhe uma Consulta de Medicina de Anti-Aging Metabólico e Funcional que o ajudará a diagnosticar as situações que desgastam o seu sistema de defesa, propondo-lhe um programa personalizado de reforço do sistema imune.

 

 

 

Dra Paula Vasconcelos

 

• “Advanced Fellow in Anti-Aging, Regenerative & Functional Medicine”; aprovou nos exames escritos e orais do Board da American Academy of Anti-Aging Medicine (A4M).
• Fellow in Functional Medicine- Institute for Functional Medicine-USA.
• “Master en Medicina Biologica y del Anti-Envejecimiento” (Universidad de Alcala - Madrid).
• Especialista em Medicina Geral e Familiar (1994).

 

A nossa equipa multidisciplinar trabalha em conjunto para podermos realizar o melhor plano personalizado adequado a si

 

Equipa Clínica Multidisciplinar


Antiaging Metabólico – Dra Paula Vasconcelos

Medicina Dentária – Dr Miguel Stanley, Dr Joao Amaral, Dr Ricardo Alho

Cirurgia Plástica e Estética – Dr Tiago Baptista Fernandes

Dermatologia – Dra Leonor Girão

Nutrição – Dra Iara Rodrigues

Psicologia Clínica – Dra Catarina de Castro Lopes
Consultoria de Imagem – Berny Serrão
Fisioterapia e Reabilitação Postural – Dra Madalena Monteiro

Personal Trainer – Pedro Baptista

Departamento de Medicina e Cirurgia Estética
Director – Dr Tiago Baptista Fernandes

 

www.white.pt

www.cirurgiaplastica.pt

www.facebook.com/whitelifedesign

...

“Sinto raiva, revolta e uma grande angustia mas acima de tudo muito medo. O medo da morte, da dor e do sofrimento.  Como vai ser a minha vida?”

(Paciente com cancro)

 

O diagnóstico de cancro é um dos mais temidos, sendo uma doença conhecida como potencialmente mortal e que habitualmente tem consequências ao nível do funcionamento biológico, psicológico e social.

O prognostico é muitas vezes incerto e os tratamentos e procedimentos cirúrgicos são habitualmente agressivos expondo as pessoas a alterações no seu corpo (p.e. queda de cabelo, emagrecimento significativo).

Apesar dos avanços da medicina no tratamento do cancro, este diagnostico ainda equivale muitas vezes, a uma “sentença de morte” associada a dor, sofrimento e degradação, provocando sentimentos de incerteza e ansiedade quanto ao futuro e pensamentos recorrentes sobre a morte. A angustia e sofrimento não são apenas vividos pelos pacientes mas também pela sua família que acompanha todo o processo.

Vivemos no corpo a ameaça de perder a vida, é nele que a(s) doença(s) se manifesta(m) mas será que o nosso bem-estar psicológico pode evitar o avanço da doença? Diversos estudos mostram que as pessoas que tiveram apoio psicológico durante o tratamento oncológico melhoraram significativamente a sua qualidade de vida comparando com as que não foram acompanhadas psicologicamente.

As perturbações emocionais prejudicam o bom funcionamento do sistema imunológico causando alterações bioquímicas. As pessoas que têm o chamado “espírito de luta” e que adoptam uma atitude optimista têm maior esperança de vida do que as que reagem com sentimentos de desesperança e desamparo.

Vários estudos mostram que a pessoa que tem acompanhamento psicológico tem uma melhoria do estado geral de saúde, melhor tolerância aos efeitos adversos da terapêutica oncológica e melhor comunicação entre a família e a equipa médica.

Não deixe de lutar pela vida! Procure ajuda neste momento delicado.

 

  

Catarina de Castro Lopes

Diretora Clínica de Psicologia na White

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CIRURGIA PLÁSTICA – Deixe cair de vez A MÁSCARA e assuma uma nova Vida!

A palavra mote – máscaras - é teatral e tem muito de carnavalesco, mas muitas vezes serve apenas para se esconder de algo que a persegue durante anos. Seja por falta de coragem, meios ou apenas por se ter conformado com as alterações no seu corpo, ninguém merece esconder-se atrás de uma máscara e fingir que está tudo bem.

Este mês dedicamos algumas palavras a quem já passou por algo tão difícil como uma mastectomia, parcial ou total, pois queremos ajudar a perceber que a reconstrução mamária é realizada para restaurar a mama que foi removida devido a cancro ou outras doenças, pois merece o melhor. Apesar de a decisão ser sua e apenas sua, este tipo de cirurgia é recomendada sob vários aspectos, principalmente do que diz respeito ao reequilíbrio psicológico da mulher que está a vivenciar uma experiência tão traumática como esta.

Após a mastectomia procede-se à reconstrução mamária, cujos procedimentos podem ser efectuados numa só intervenção cirúrgica, passando numa fase posterior à reconstrução do mamilo e da aréola propriamente dita. Enumerando algumas das técnicas de reconstrução mamária utilizadas em mulheres mastectomizadas, como Tram, Expansores e Proteses, ou LD – latissimus dorsi, a Microcirurgia (Diep e Tdap) é a técnica mais utilizada em todo o mundo e a que apresenta melhores resultados.

Correndo o risco de ser um assunto demasiado sensível às leitoras e até algo confuso pela informação que aqui lhe damos, a nossa intenção é ajudá-la a perceber que pode e deve assumir a sua forma e condição de mulher. Não se esconda. Reassuma a sua forma feminina, deixe cair a máscara e assuma uma nova Vida!

 

Tiago Baptista Fernandes

Cirurgião Plástico

Director Clinico de Medicina e Cirurgia Estética

Clinica White