Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Tema do Mês - Tabagismo - Dermoestética

Quando a pele respira o mesmo que os seus pulmões..

 

Seja fumador activo ou passivo, todos sabemos o quão prejudicial é o fumo do tabaco para a nossa saúde em geral, mas raramente nos lembramos dos estragos que, ao longo do tempo, provoca à pele.

Os indícios de ser fumador não se limitam ao odor oral mas também corporal, nomeadamente no odor do cabelo e das roupas, para além das manchas amareladas nos dedos e nas unhas, o que, no caso de ser fumador, sabemos que bem reconhece e também não aprecia. Agora imagine o que sentirão os não fumadores que o rodeiam!

É normal que ao olhar-se diariamente ao espelho não note os efeitos imediatos do fumo do tabaco, pois este actua silenciosamente no decorrer dos anos, ou seja, as toxinas da combustão do tabaco ficam em suspensão e os seus efeitos só se manisfetam e são detectados muito mais tarde. Para que tal aconteça não tem de ser necessariamente fumador, basta trabalhar ou viver a maior parte do dia a dia num ambiente de fumador.

No entanto, se é fumador activo os efeitos serão mais visíveis e agressivos em vários aspectos da sua saúde, incluindo o aspecto da sua pele. Vejamos que, se por um lado, a nicotina actua como um potente vasoconstritor, dimimuindo o fluxo sanguineo e dificultando a oxigenação da pele, por outro lado funciona como um inibidor à função dos fibroblastos essenciais na produção de colágénio e elastina. Neste sentido, uma pele asfixiada, com as defesas naturais enfraquecidas e permeável às agressões externas, é inevitavelmente uma pele envelhecida. O aparecimento das rugas é prematuro, a textura e o aspecto saudável vão-se deteriorando, ficando com a pele fica baça, amarelada e enrugada.

Cuidar da pele é essencial para todos nós mas para si, no caso de ser fumador, torna-se preventivo e indispensável! Simples actos como uma boa limpeza, lavagem, nutrição e protecção são os que deve colocar em prática diária e activamente. Actualmente, para além dos cuidados diários que todos devemos ter em conta, para si que é fumador existem diversas técnicas que incidem num nível mais profundo da pele, como os peelings químicos em que a camada superficial é removida, as manchas são combatidas e suavizadas, dando um aspecto mais saudável à sua pele. As vitaminas e nutrientes que a mesoterapia restituem à sua “pele fumadora” também são extremamente eficazes, bem como os cosmocêuticos.

Hoje já se olhou ao espelho? Acha que as olheiras e incongruências de várias ordens da sua pele são normais e passageiras?

Caro leitor, pare um pouco e olhe bem para si, repense as suas acções e prioridades diárias. O seu exterior, neste caso a sua pele, é o espelho do seu interior. Talvez esteja na altura de se cuidar mais e melhor. Seja para aconselhá-lo e ensiná-lo a cuidar da sua pele diariamente e em casa, seja para tratar da sua pele de uma forma mais activa e intensiva, estamos aqui para o ajudar!

 

Departamento de Dermoestética da White

Tema do Mês - Tabagismo - Nutrição

Embora sejam evidentes e claros os benefícios para a saúde obtidos por parar de fumar, muitas pessoas sentem-se desencorajadas em largar o vício em consequência de alguns quilos extras adquiridos. Estudos referem que a média de ganho de peso para o ex-fumador é de 2 a 9 quilos e há algumas explicações para este facto:

O ex-fumador sente frequentemente a falta de ter algo para fazer com a boca e com as mãos, portanto comer ou “petiscar” é semelhante à acção repetitiva de fumar, isto é, algumas pessoas procuram comer não por fome mas pela necessidade de “compensar uma falta”.

É comum o ex-fumador ter um aumento do apetite e ver alteradas as suas preferências alimentares. A mudança de apetite deve-se, em parte, às alterações do olfacto e do paladar com a ausência do cigarro. Algumas pessoas passam a ingerir doces com maior frequência e isso explica-se pela necessidade de reposição de serotonina, o neurotransmissor responsável pelo prazer. Por sua vez, as mudanças na alimentação podem acarretar um aumento do consumo calórico, favorecendo o ganho de peso. Também o aumento da ansiedade, vivida no início da abstinência, faz com que a procura alimentar seja mais frequente.

Sabe-se que a nicotina eleva o metabolismo basal (consumo energético que o corpo necessita para exercer adequadamente as funções de órgãos como o coração, o cérebro e o fígado) dos fumadores, queimando-se desta forma mais calorias. No ex-fumador, o metabolismo diminui para níveis saudáveis, níveis normais.

Posto isto, o importante é pensar em si e na sua saúde e apontar que o ganho de peso, nestes casos, pode ser evitado: se comer de forma saudável (escolha adequada de alimentos e quantidades) e se praticar actividade física regularmente.

Lembre-se que o fumo do cigarro causa maiores danos para a sua saúde e para a sua aparência do que alguns quilos extras. Além disso, observa-se que boa parte dos ex-fumadores perdem parte do peso adquirido, conforme o organismo se vai equilibrando, com o tempo.

 

Iara Rodrigues

Responsável pelo Departamento de Nutrição da White