Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Ortorexia - Quando a alimentação saudável passa a obsessão

Esta perturbação é caracterizada por uma preocupação exagerada com o tipo de alimentos consumidos. Estas pessoas apenas ingerem alimentos saudáveis e escrutinam o conteúdo nutricional de cada alimento – calorias, vitaminas e nutrientes. Qualquer coisa que contenha o mínimo vestígio do que está na lista do “não permitido” não é consumido.

Esta rigidez alimentar levada ao extremo acaba por interferir na qualidade de vida destas pessoas, uma vez que a alimentação passa a controlar o seu dia-a-dia. Frequentemente recusam comer em casa de amigos ou familiares por nao saberem o que irá ser servido e são capazes de percorrer longas distancias para comprar os seus alimentos. A obsessão com a alimentação saudável interfere em actividades e interesses, prejudica as relações afectivas, tornando-se física e psicologicamente perigosa. Os problemas sociais são evidentes. Um ortorexico habitualmente isola-se socialmente por planear a sua vida em função da comida. Pode inclusive perder a capacidade de comer de forma intuitiva – não saber quando tem fome, quanto precisa comer ou quando está satisfeito.

A auto-estima destas pessoas é baseada na “pureza” dos alimentos consumidos.

Quando não conseguem seguir as suas regras alimentares desencadeiam processos de frustração, podendo mesmo chegar a depressão. Não se trata de uma preocupação normal em fazer uma alimentação saudável. Trata-se de um comportamento radical que condiciona toda a vida pessoal e social.


 

 

Será que eu tenho Ortorexia? Considere as seguintes questões:

 

- Só se permite comer alimentos saudáveis?

- Consegue comer uma refeição preparada por outra pessoa?

- Observa e comenta a maneira como outras pessoas preparam a comida?

- Dá consigo a pensar em conteúdo nutricional durante o dia?

- Seguir uma dieta saudavel é a sua prioridade na sua vida? O trabalho e a diversão estao em segundo plano?

- Sente-se culpado ou com raiva quando comete um pequeno deslize no seu plano alimentar?

- Sente-se sob controlo quando come apenas alimentos considerados saudaveis?

- Nao consegue entender como é que as outras pessoas podem comer determinados alimentos como fast food, enlatados, biscoitos, etc?

 

 Consequências da Ortorexia

Para alguns, a capacidade de concentração (no trabalho ou estudo) pode começar a declinar, à medida que os seus pensamentos se ocupam cada vez mais com a alimentação, com alimentos permitidos, como articula-los no seu dia-a-dia, quantas vezes se deve mastigar e por aí fora. O pensamento pode ficar totalmente ocupado com comida, deixando pouco espaço para outras ideias. A concentração e a motivação acabam por ficar na retaguarda.

A ortorexia pode acarretar graves prejuízos à saúde, caso o ortoréxico não substitua os alimentos que evita consumir por outros que lhe ofereçam o mesmo complemento nutricional. Entre as conseqüências fisicas encontram-se quadros de anemia e carência vitamínica. Apesar disso, o isolamento social é um prejuízo às vezes mais difícil de reparar do que os próprios danos físicos.

 

Tratamento

Tal como noutras perturbações alimentares, a ajuda de profissionais especializados é fundamental.

Embora seja uma perturbação pouco divulgada pode ter reprecussões serias para a saude (fisica e mental).

O acompanhamento psicológico em conjunto com o acompanhamento nutricional, são a chave para se ultrapassar esta obsessão. 

 

Nao deixe de pedir ajuda! Venha fazer uma avaliação gratuita connosco.

 

 

Departamento de Psicologia e Nutrição da White

Catarina de Castro Lopes (Directora do Departamento de Psicologia)

Iara Rodrigues (Directora do Departamento de Nutrição)

Binge Eating - Conhece esta perturbação alimentar?

A Perturbação da Ingestão Alimentar Compulsiva ou Binge Eating é das perturbações alimentares a que tem a descrição mais recente e, segundo alguns estudos a que apresenta a maior prevalência não só entre os pacientes com perturbações do comportamento alimentar (30%) como na população geral (4,6%).

 

 

As pessoas que têm esta perturbação são geralmente adultos e frequentemente recorrem a tratamento para a obesidade. Ao contrário do que é mais comum na Anorexia e Bulimia Nervosa, também afecta os homens, sendo a perturbação alimentar que regista menos diferença entre os sexos.
Tal como na Bulimia, é caracterizada pela ingestão descontrolada de comida, pelo menos duas vezes por semana, durante um periodo de 6 meses. Estes episódios frequentes de ingestão alimentar compulsiva tendem a ser desencadeados devido a alterações de humor, tensões emocionais ou problemas do dia-a-dia, funcionando esta ingestão de comida como um ansiolítico que tem como função a estabilização emocional mas, contrariamente à Bulimia Nervosa, as pessoas com esta perturbação não utilizam métodos de compensação (purga, abuso laxantes, jejum ou o exercício físico excessivo) nem exibem regras rígidas de dieta.

Habitualmente esta perturbação associa-se a uma tendência para a sobrealimentação sendo que, a maioria das pessoas têm excesso de peso ou são obesos. Como na Bulimia Nervosa, verifica-se falta de controlo sobre a alimentação, manifestada sobre a forma de grandes ingestões alimentares (sem existir fome), que são efectuados num curto espaço de tempo, ficando o sentimento de culpa, ineficácia e desgosto. As ingestões causam mal-estar, preocupações com os efeitos da ingestão sobre o peso e a imagem corporal. Os episódios estão frequentemente associados à ingestão mais rápida do que o habitual de grandes quantidades, de comer sem sentir fome e de comer sozinho com grande voracidade.
Tem como sintomas físicos oscilações constantes de peso e como sintomas psicológicos a depressão, ansiedade, sentimentos de culpa, sentimentos de ineficácia, pensamentos frequentes sobre comida, isolamento social e pensamentos suicidas. Como consequências fisicas, a obesidade, diabetes, colesterol elevado, pressão arterial elevada, problemas respiratórios, renais, ósseos, artrites, problemas de pele e menstruação irregular.


Se reconhece estes sintomas nâo hesite em procurar ajuda. Trata-se de uma perturbação psicológica, que pode ter graves consequências fisicas e emocionais.

 

Catarina de Castro Lopes

Directora Clinica de Psicologia na White