Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

As críticas dos outros podem interferir na nossa auto-estima?

É natural darmos importância a forma como somos vistos e valorizados por outras pessoas. A opinião dos outros é importante para nós, sendo muitas vezes através dos outros que nos integramos a nós mesmos. Somos seres sociais, vivemos em grupo, logo é natural que sintamos a sua pressão e influência. A auto-estima é uma necessidade que cumpre a função de fazer corresponder a visão que os outros têm de nós ao que somos verdadeiramente, e ao facto de correspondermos aos padrões culturais. Monitoriza e regula a aceitação social das pessoas, no sentido de evitar a rejeição em sociedade.

 A forma como a opinião dos outros tem impacto em nós depende da interpretação que damos a essa informação e da auto-estima que temos. Se for uma pessoa insegura, se a sua estima não estiver fortalecida ou se for demasiado exigente consigo mesmo pode haver um género de filtro mental, que absorve todas as criticas negativas ou depreciativas, indo ao encontro da imagem negativa que tem de si próprio.

  

A auto-estima é indissociável da autocritica. Apenas podemos alcançar apreço por nós mesmos quando se torna possível tomar em consideração as autocríticas, isto é, a capacidade de identificar, tolerar e aprender em função das nossas insatisfações pessoais, e as heteroclíticas ou criticas dos outros. 


Uma pessoa com auto-estima torna-se mais capaz de tolerar as críticas e eventualmente aprender com elas nos diferentes momentos da sua vida. Se a crítica que fazemos sobre nós for adequada proporciona aprendizagem, evita erros futuros e consequentemente leva ao crescimento pessoal. Se, por outro lado, forem de caracter culpabilizante ou destrutivo podem ameaçar a auto-estima.


Se existir uma auto-estima fortalecida, se estiver seguro do seu valor, sentirá uma maior serenidade perante as opiniões dos outros. Mais importante do que os outros pensam de nós, é o que pensamos sobre nós mesmos. De que adianta os outros gostarem de si ou respeitarem-no se quando se olha ao espelho não respeita o que vê?

Pense nisto.
 

Departamento de Psicologia
Catarina de Castro Lopes
Directora Clinica

A importância das Férias

As férias constituem uma pausa no ritmo de trabalho. Ajudam a diminuir o stress, a relaxar e a aumentar os níveis de energia e de criatividade.

O nosso organismo precisa de uma pausa periódica para recuperação do desgaste físico e mental. Quando conseguimos “recarregar as nossas baterias” podemos retomar ao trabalho mais bem dispostos e produtivos. Sabemos que um profissional satisfeito é aquele que produz e atinge resultados.

Por outro lado é importante termos este tempo disponível para actividades sociais, culturais ou desportivas, para organizarmos tudo aquilo que não conseguimos com a azafama do ritmo de trabalho e quem sabe, descobrir novas aptidões, pois as rotinas muitas vezes inibem a criatividade e produtividade. 

 

 

Há pessoas para quem as férias são momentos de verdadeiro descanso e relaxamento, mas há outras para quem são um grande período de tensão e fonte de stress. Talvez porque ficam demasiado impacientes para as tão aguardadas férias, elaborando expectativas demasiado elevadas ou irrealistas relativamente ao bem-estar que imaginam atingir nesse período. Fantasiam sobre aquelas semanas que magicamente acreditam que irão “consertar” tudo.

Para que este periodo seja agradável e vivido sem stress é necessário programar periodos de relaxamento e diversão assim como dividir algumas tarefas (p.e. cuidados a ter com as crianças, tarefas domesticas, etc).

 

Alguns motivos de stress que surgem durante as férias e que podem interferir na harmonia e descanso desse período:

Dificuldades Financeiras. Quando pensamos em férias muitas vezes planeamos sair de nossa casa e ir para um local diferente do habitual o que implica algum investimento monetário. Pessoas com dificuldades financeiras podem sentir dificuldades na sua concretização o que pode levar a sentimentos de frustração.

Companhia. As férias são habitualmente passadas ao lado dos que nos são mais próximos (conjuge, familiares e amigos), pelo que aqueles que se sentem sozinhos podem ficar mais perturbados nesta altura do ano.

Outras vezes não estamos em sintonia com a(s) pessoa(s) que escolhemos passar as nossas férias. Queremos fazer algo diferente, temos ritmos biológicos mais ou menos acelerados ou gostos diferentes. Estarmos dependentes de outros pode causar stress. Procure gerir esses conflitos de interesses da forma mais harmoniosa que conseguir. Talvez possa negociar com os familiares ou amigos e alternarem programas preferenciais de forma a agradar a todos.

Insatisfação Corporal. No Verão existe também uma grande preocupaçao com o corpo, uma vez que está habitualmente mais exposto. A insatisfação com a aparência fisica pode levar ao evitamento de algumas situações sociais (p.e. ir a praia ou festas) e consequentemente ao isolamento.

Novo Ritmo. Existe uma necessidade inerente às férias de nos adaptarmos ao novo ritmo de sono e de alimentação, à mudança de local, actividade fisica diferente, ao convívio condensado com quem nos desabituámos de lidar, ao confronto com expectativas sociais que idealizam capacidades relacionais e exigem corpos esculturais.

 

Não descure as Férias!

Esta é uma boa altura para usufruir de momentos de bem-estar e satisfação. Respeite as suas necessidades para que possa conviver em maior paz e harmonia.

 

 

Catarina de Castro Lopes

Directora Clinica do Departamento de Psicologia

Programa Noites Tranquilas

Melhore a qualidade do seu sono e elimine as insónias em apenas 6 sessões.

 

Insónias

Significa ter dificuldades em adormecer, em se manter a dormir ou ter um sono reparador. Um bom sono permite melhor capacidade de concentração e memória, facilita a percepção de ideias, a concepção de planos e a criatividade. Outras consequências das insónias são a fadiga, cansaço, dificuldade no desempenho escolar ou trabalho, alterações de humor, irritabilidade, redução da energia e motivação, dores de cabeça, alterações gastrointestinais e preocupação relativamente ao sono.

 

Trata-se de uma das queixas mais frequentes e das mais ouvidas por médicos e profissionais de saúde, no entanto, muitas pessoas não procuram ajuda, o que é uma pena, dado existirem formas de tratamento muito eficazes, sem ser necessário recorrer a medicação.

 

Não se iniba de pedir ajuda.

Com o programa Noites Tranquilas temos a solução que procura!

 

Objectivos do Programa:

-       Melhoria na qualidade e/ou tempo de sono

-       Melhoria dos níveis de energia, atenção e memória, no desempenho cognitivo e nos sintomas somáticos

-       Melhoria significativa nas perturbações emocionais relacionadas com o sono

Preencha o questionario para avaliar o nivel de severidade das suas insónias, com base nas últimas duas semanas:

 

Queixa Nada Pouco Moderado Grave Muito Grave
Dificuldade em adormecer 0 1 2 3 4
Dificuldade em manter-se a dormir 0 1 2 3 4
Acordar muito cedo 0 1 2 3 4

Até que ponto está satisfeito/insatisfeito

com o seu padrão de sono actual?

Muito

Insatisfeito

0

Satisfeito


1

Moderadamente

Satisfeito

2

Insatisfeito


3

Muito

Insatisfeito

4

Até que ponto acha que os outros notam as suas

dificuldades de sono na forma como afecta

negativamente a sua qualidade de vida?

Não notam

Nada

0

Notam

Pouco

1

Notam

Razoavelmente

2

Notam Muito


3

Notam

Muitíssimo

4

Qual o seu nível de preocupação/ perturbação com

os seus problemas de sono actuais?

Nada

Preocupado

0

Um pouco

Preocupado

1

Razoavelmente

Preocupado

2

Muito 

Preocupado

3

Extremamente

Preocupado

4

Até que ponto considera que o seu problema de sono

interfere com o seu funcionamento diurno (por exemplo,

fadiga, humor, capacidade para trabalhar ou para as

suas tarefas quotidianas, concentraçao, memoria,

energia, etc.)?

Não Interfere 

Nada



0

Interfere

Um pouco



1

Interfere 

Moderadamente



2

Interfere 

Muito



3

Extrema 

Interferência



4

Total (some os valores das 7 perguntas)

         

 Insomnia Severity Index

 

Interpretação do valor obtido: 

0-7: Sem insónia clinicamente significativa 

8-14: Insónia sub-clínica 

15-21: Insónia clínica (severidade moderada) 

22-28: Insónia clínica (severidade elevada) 

 

 

Departamento de Psicologia da White

 


Ortorexia - Quando a alimentação saudável passa a obsessão

Esta perturbação é caracterizada por uma preocupação exagerada com o tipo de alimentos consumidos. Estas pessoas apenas ingerem alimentos saudáveis e escrutinam o conteúdo nutricional de cada alimento – calorias, vitaminas e nutrientes. Qualquer coisa que contenha o mínimo vestígio do que está na lista do “não permitido” não é consumido.

Esta rigidez alimentar levada ao extremo acaba por interferir na qualidade de vida destas pessoas, uma vez que a alimentação passa a controlar o seu dia-a-dia. Frequentemente recusam comer em casa de amigos ou familiares por nao saberem o que irá ser servido e são capazes de percorrer longas distancias para comprar os seus alimentos. A obsessão com a alimentação saudável interfere em actividades e interesses, prejudica as relações afectivas, tornando-se física e psicologicamente perigosa. Os problemas sociais são evidentes. Um ortorexico habitualmente isola-se socialmente por planear a sua vida em função da comida. Pode inclusive perder a capacidade de comer de forma intuitiva – não saber quando tem fome, quanto precisa comer ou quando está satisfeito.

A auto-estima destas pessoas é baseada na “pureza” dos alimentos consumidos.

Quando não conseguem seguir as suas regras alimentares desencadeiam processos de frustração, podendo mesmo chegar a depressão. Não se trata de uma preocupação normal em fazer uma alimentação saudável. Trata-se de um comportamento radical que condiciona toda a vida pessoal e social.


 

 

Será que eu tenho Ortorexia? Considere as seguintes questões:

 

- Só se permite comer alimentos saudáveis?

- Consegue comer uma refeição preparada por outra pessoa?

- Observa e comenta a maneira como outras pessoas preparam a comida?

- Dá consigo a pensar em conteúdo nutricional durante o dia?

- Seguir uma dieta saudavel é a sua prioridade na sua vida? O trabalho e a diversão estao em segundo plano?

- Sente-se culpado ou com raiva quando comete um pequeno deslize no seu plano alimentar?

- Sente-se sob controlo quando come apenas alimentos considerados saudaveis?

- Nao consegue entender como é que as outras pessoas podem comer determinados alimentos como fast food, enlatados, biscoitos, etc?

 

 Consequências da Ortorexia

Para alguns, a capacidade de concentração (no trabalho ou estudo) pode começar a declinar, à medida que os seus pensamentos se ocupam cada vez mais com a alimentação, com alimentos permitidos, como articula-los no seu dia-a-dia, quantas vezes se deve mastigar e por aí fora. O pensamento pode ficar totalmente ocupado com comida, deixando pouco espaço para outras ideias. A concentração e a motivação acabam por ficar na retaguarda.

A ortorexia pode acarretar graves prejuízos à saúde, caso o ortoréxico não substitua os alimentos que evita consumir por outros que lhe ofereçam o mesmo complemento nutricional. Entre as conseqüências fisicas encontram-se quadros de anemia e carência vitamínica. Apesar disso, o isolamento social é um prejuízo às vezes mais difícil de reparar do que os próprios danos físicos.

 

Tratamento

Tal como noutras perturbações alimentares, a ajuda de profissionais especializados é fundamental.

Embora seja uma perturbação pouco divulgada pode ter reprecussões serias para a saude (fisica e mental).

O acompanhamento psicológico em conjunto com o acompanhamento nutricional, são a chave para se ultrapassar esta obsessão. 

 

Nao deixe de pedir ajuda! Venha fazer uma avaliação gratuita connosco.

 

 

Departamento de Psicologia e Nutrição da White

Catarina de Castro Lopes (Directora do Departamento de Psicologia)

Iara Rodrigues (Directora do Departamento de Nutrição)

Programa “Anti-Stress” - Abandone o Stress em apenas 4 sessões

Dia 7 de Abril é o dia mundial da saúde.

Sabemos que o stress pode afectar a sua vida de uma forma muito negativa e pode ter repercussões na sua saúde e bem-estar, nas suas relações com os outros e no seu desempenho. Níveis descontrolados de stress podem significar uma serie de outras complicações, como dores de cabeça, mau humor, falhas de memória, dores musculares e batimentos cardíacos acelerados.

Não desanime! Temos soluções para o seu problema. É possível controlar o stress e nem é muito difícil!

Para isso criámos um programa que o pode ajudar, através da aquisição e treino de estratégias e técnicas simples, rápidas e cientificamente comprovadas como eficazes para combater o stress.


Como conhecemos o impacto negativo do stress na sua saúde, nesta época e alusivo ao dia mundial da saúde, criámos uma boa oportunidade para si.

Se marcar a sua consulta até ao dia 8 de Abril poderá usufruir do programa por apenas 85 euros, em vez de 200 euros (valor do programa).

 

 

Ao longo das 4 sessões individuais pode aprender a:

-   Reconhecer as suas fontes de stress

-   Identificar os seus sintomas de stress e a forma como afectam a sua vida

-   Aprender técnicas de relaxamento simples, através do controlo da respiração ou da contracção muscular

-   Treinar a capacidade de regular as suas emoções com a ajuda de aparelhos de biofeedback

-   Identificar prioridades na sua vida e treinar a gestão do tempo de acordo com as mesmas

-   Desenvolver estratégias de resolução de problemas

-   Treinar a mente para identificar e lidar com emoções e pensamentos indutores de stress

-   Desenvolver um estilo de comunicação assertivo

 

Com a ajuda deste programa vai sentir resultados rapidamente e adquirir uma bagagem de competências que lhe irão servir ao longo da sua vida!

 

 

Catarina de Castro Lopes

Directora Clinica de Psicologia na White