Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Manter os dentes ou substituí-los por implantes?

Já falámos dos diversos tipos de tratamento possíveis de efectuar, de forma a melhorar a nossa saúde, função e estética oral. Já explicámos em que consiste uma desvitalização e em que consistem os implantes dentários, cada um com as suas respectivas indicações e limitações.

 

Actualmente vivemos num Mundo de gratificação instantânea. Ter conforto, produtos, serviços ou informações nunca foi tão fácil, graças às novas tecnologias e à comunicação cada vez mais global. As pessoas estão mais impacientes, querem resultados rápidos, simples e, no fundo, “Value for Money”. Isto traz, obviamente, consequências para a Medicina Dentária, e para a percepção que os clientes poderão ter face aos tratamentos.

 

Até há algumas décadas atrás, a extracção era o tratamento de eleição para dentes fracturados, cariados, etc. Com o advento da Implantologia, a reposição / substituição dos dentes perdidos, de forma fixa e estética, tornou-se uma realidade. No entanto, esta “facilidade” poderá ter efeitos perversos: assistiu-se a uma tendência “extraccionista”, em que dentes possivelmente recuperáveis começaram a ser extraídos e substituídos por implantes dentários.

 

Podemos afirmar que o nosso dente, quando bem tratado e recuperado, é sempre preferível a um implante dentário. Uma das armas mais importantes ao nosso dispor é a Endodontia, a especialidade da Medicina Dentária que se dedica à desvitalização dos dentes, e que permite recuperar dentes que outrora teriam de ser, inevitavelmente, extraídos.

 

Este tratamento deverá ser feito por profissionais bem treinados e requer tempo, bons materiais e boa formação. Um dente correctamente desvitalizado e reconstruído com uma coroa em cerâmica tem um prognóstico excelente a longo prazo, e esta opção deverá ser sempre bem ponderada face à substituição por um implante dentário.

 

Os implantes dentários são um tratamento de vanguarda e com altíssima taxa de sucesso, mas não devem ser a panaceia para todas as situações, pese embora o facto de permitirem a substituição de dentes perdidos ou irrecuperáveis. A Medicina não é Matemática, cada caso é um caso, por isso não podemos propor os mesmos planos de tratamento a todos os clientes!

 

Assim sendo, pondere bem antes de extrair os seus dentes, discuta o seu caso com o seu Médico Dentista, informe-se dos prós e contras, e faça parte do processo de decisão. Não seja um mero espectador quando é a sua saúde que está em causa!

 

Equipa White

Reabilitação oral total - A distância não é um problema.

 

Actualmente com as técnicas e recursos laboratoriais que dispomos é possível realizar vários tratamentos dentários em cada visita à clínica de forma a optimizar e evitar consultas constantes e perda de tempo desnecessário. Por exemplo pacientes que vêm de fora do País ou moram longe de Lisboa podem assim ser tratados na nossa clínica em curtos períodos de tempo.

 

 

Descrição de caso clínico.

 

Paciente residente na Suiça com necessidade de realizar uma reabilitação oral extensa. Fez todo o plano de tratamento em duas vindas a Portugal por um período de uma semana de cada vez. Na primeira visita à clínica, a paciente fez a consulta de primeira vez na qual realizou ortopantomografia, rx apicais, fotografias, tomografia computorizada e foi feito o diagnóstico e estabelecido o plano de tratamento.

 

 

  

Fig. 1 Ortopantomografia inicial

 

     

Fig. 2 Ortopantomografia final

 

 

Paciente ficou uma semana em Portugal, iniciando o tratamento no mesmo dia com a realização da  consulta de higiene oral e seguiu com  o tratamento de desvitalizações. Posteriormente colocou um implante no maxilar superior.

 

Fig.3 Colocação do implante no maxilar superior

 

 

Após 3 meses regressou a Portugal e em uma semana fez a reabilitação com coroas cerâmicas no maxilar superior e uma prótese esquelética no maxilar inferior.

 

 

 

 Fig. 4 Foto frontal inicial

 

 

 

Fig. 5 Foto frontal final, reabilitação com coroas cerâmicas no maxilar superior

 

 

 

 

Fig. 6 Foto oclusal inicial do maxilar inferior

 

 

       


Fig. 7 Foto oclusal final do maxilar inferior, reabilitação com prótese esquelética

 

 

 

 

 

       

Fig. 8 Sorriso inicial                       Fig. 9 Foto final

 

 

 

Com este caso queremos demonstrar que é possível resolver problemas complexos de reabilitação oral de forma rápida e previsível em poucas consultas graças a uma estreita cooperação com o nosso laboratório, utilização dos melhores materiais e à experiência clínica e trabalho de equipa dos médicos dentistas da clínica White. 

 

 

 

Equipa White

 

 

 
 
 
 

 

 

 

Saúde, Função, Estética

A sociedade actual vive de forma intensa o culto da beleza. Todos nós acabamos por sofrer na pele os efeitos dessa pressão social. Um sorriso mais branco e luminoso, uma pele mais perfeita e bronzeada ou um corpo mais tonificado, são exemplos daquilo que a maioria das pessoas procura, em busca da perfeição que se vê nas revistas, na televisão, no cinema, nos media. As pessoas tornaram-se mais atentas e cuidadas no que toca à aparência, e isso acaba por se reflectir em vários aspectos do nosso dia-a-dia. A procura por tratamentos estéticos (quer em Medicina Dentária, quer em inúmeras outras áreas) tem vindo a aumentar a cada ano que passa, e não parece dar sinais de estar a abrandar.

 

Temos actualmente ao nosso dispor uma panóplia de tratamentos estéticos que permitem resolver praticamente todas as situações: aparelhos ortodônticos, branqueamentos dentários, facetas e coroas em cerâmica, resinas compostas de ultima geração, etc. Não podemos, no entanto, esquecer que existem prioridades em termos de planeamento do tratamento, e que uma boca doente jamais será boa candidata a tratamentos estéticos. Má higiene oral, problemas gengivais, dentes em falta, cáries ou desvitalizações mal executadas, poderão impossibilitar a obtenção de um sorriso estético e harmonioso.

 

Uma boca com peças em falta é, também, dificilmente estética. A estética baseia-se em vários princípios: harmonia, simetria, invisibilidade, mimetização, etc. Um ou mais dentes ausentes deitam por terra estes princípios. Um sorriso estético, deve ser, antes de mais, saudável e funcional.

 

Inverter estas prioridades, traz geralmente maus resultados. Se fizermos um paralelo, será algo como construir uma mansão fantástica em cima de um terreno de areia movediça, com pilares fragéis. A casa poderá ficar linda e confortável, mas por um tempo limitado. Assim que a força mastigatória e a biologia começarem a actuar, tudo cairá por terra, e os problemas orais irão surgir.

 

Assim sendo, considere sempre estas prioridades quando visitar o seu Médico Dentista, ou quando procurar tratamentos estéticos. Se tiver uma boca saudável e funcional, a estética acaba por vir por acréscimo, e por ser bem mais fácil de obter.

 

Por Dr. Ricardo Alho, Médico Dentista - departamento de reabilitação oral na Clínica WHITE

Reabilitação oral

 

 

Antes do tratamento

 

Tratamento aplicado

Areas Envolvidas: Higiene oral, endodontia, reabilitação oral, implantologia

Numero de consultas:

1-      Higiene oral + Endodontia

2-      Cirurgia para colocação de implantes

3-      Remoção de suturas e observação

4-      Passados 2 meses : impressões

5-      Prova das estruturas

6-      Cimentação do caso, higiene oral e fotos finais.

 

Depois do Tratamento

 

Todo o tratamento foi feito em 6 consultas, num intervalo temporal de 3 meses. Uma paciente desdentada total na maxila voltou a ter dentes fixos após 35 anos a usar uma prótese, tendo sido feita a reabilitação total do aparelho mastigatório, não só na maxila, como também na mandíbula. “Não existem meios sorrisos!”

 

A Equipa da WHITE

 

 

Ortodontia e Implantes

Boa tarde, Foi-me diagnosticada mordida cruzada e para a sua correcção foi-me aconselhado colocar aparelho. No entanto, faltam-me dois dentes no maxilar superior, dois molares, um de cada lado. Foi-me dito que deveria fazer implantes para colocar estes dois dentes, pois corria o risco de o tratamento com o aparelho não ser eficaz. Gostaria de saber a vossa opinião. Caso tenha de colocar os implantes, estes devem ser colocados durante o tratamento com o aparelho ou após este tratamento.
Agradeço desde já a vossa resposta.

 

Repôr dentes em falta

 

Boa tarde a toda a equipa
 
        Primeiro quero agradecer e louvar este espaço tão importante para tirar dúvidas e tomar conhecimento de casos semelhantes ao nosso.
O meu caso é o seguinte:
Na adolescência e mesmo já em adulta (até aos 20 anos+/-) nunca fui muito atenta aos meus dentes. Primeiro porque em casa não havia essa "cultura" e depois por falta de dinheiro. Claro que o resultado foi catastrófico. Aos 18 anos, fiquei sem um dos dentes da frente (parece-me que na altura o dentista optou pela saída mais rápida) e sem alguns na arcada superior esquerda. Coloquei logo prótese, mas como ela era suportada por "arame" os restantes dentes da esquerda, estragaram-se.
Não sei ao certo desde quando,  mas a verdade é que há alguns anos que fiquei sem os 5 dentes posteriores da arcada superior esquerda. Uso prótese removível desde essa altura, tendo ao longo do tempo indo substituído ou porque se partem ou porque em termos estéticos vão perdendo qualidade.
      Acontece que de há uns anos para cá, quando se começou a ouvir falar em implantes que me tenho tentado informar de como poderiam ser bons para mim.
Cheguei a fazer uma TAC ao maxilar superior para saber se tenho osso para o implante. O resultado desanimou-me imenso, muito embora já esperasse o resultado. Não tenho massa óssea suficiente o que, segundo me foi dito, equivale a fazer enxerto ósseo.
Fiquei super assustada e, sinceramente, o "médico" que me deu esta informação não se preocupou muito com o meu receio, pois ficou, na altura, de observar a TAC e dizer-me quando poderia marcar uma consulta para avaliarmos as hipóteses e nunca mais teve tempo para me atender.
      Resultado, fui esquecendo e deixando passar o tempo, mas a verdade é que não me sinto, nunca me senti e creio nunca me sentirei confortável com o facto de não ter o dente da frente fixo e de a qualquer momento a prótese parti (como já aconteceu) e eu ficar envergonhadíssima.
      Sei que por email não fazem "avaliações", mas gostaria de ouvir a opinião de outros especialistas sem ter de despender imenso dinheiro em consultas de consultório em consultório. Além disso a V equipa tem provas dadas que realizam excelentes trabalhos.
     Caso vejam que só numa consulta se consegue avaliar e ver as hipóteses, gostaria que me indicassem como o posso fazer.
 
Muito grata pela atenção dispensada