Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

A alegria e felicidade são o estado natural de saúde

Todos os dias nos deparamos com imagens de corpos jovens, atléticos e perfeitos. Na sociedade actual o corpo mostra a sua omnipresença, sendo bem visível na publicidade, na moda e na cultura. O reforço dado pelos "media" em mostrar formas físicas atraentes, faz com que a nossa sociedade se lance em busca de uma aparência física idealizada. Verifica-se cada vez mais a valorização da estética, tendo esta vindo a assumir particular importância uma vez que provoca sentimentos de aceitação ou de censura social, conduzindo as pessoas a percepcionarem a beleza como o "ingrediente chave" para o sucesso na sua vida.


Assiste-se ainda a uma sobrevalorização da juventude, queremos parecer eternamente jovens, pois sermos jovens significa estarmos no nosso máximo potencial a nível físico e mental. Existe pânico geral quando se fala de velhice e aparecimento de rugas faciais, despoletando assim um desejo em eliminá-las, extinguindo desta forma os sinais de envelhecimento. Esta cultura padronizada de beleza, na qual a juventude está implícita, influencia a forma como a maioria das pessoas percebem os seus corpos. Aspirando conseguir este ideal, ficam insatisfeitas com a sua aparência física, levando esta percepção negativa a estados afectivos negativos.

 

A forma como percepcionamos o nosso corpo, ou seja a nossa "auto-imagem" tem como base experiências e vivências, assim como estímulos presentes e expectativas futuras. Ter uma boa "auto-imagem" potencializa a beleza e a saúde, estando esta directamente relacionada com a auto-estima, as pessoas que se avaliam como belas (ou seja, que têm uma boa auto-imagem) têm maior facilidade em apresentar mais auto-estima, o que lhes proporciona uma melhor qualidade de vida relativamente àquelas que não se vêem como tal, apesar de muitas vezes serem bastante atraentes (tendo em conta o "padrão" actual de beleza). O que acontece por vezes é que a auto-estima distorce a "auto-imagem".

 

 

Catarina de Castro Lopes
Psicóloga Clínica na WHITE

Rugas de origem dentária

Boa noite,

 

Tenho 57 anos e perdi quase todos os meus dentes num acidente de carro há 3 anos. Desde aí tenho vindo a reparar que as rugas na minha cara se tornaram mais vincadas. Será devido à idade e ao stress, ou os dentes podem ter alguma coisa a ver com isso?

 

Actualmente uso uma placa removivel, mas detesto-a, porque magoa nalgumas zonas, e tem tendencia a mexer-se.

 

Que soluções existem para o meu caso? gostava de ter dentes fixos novamente e de diminuir as rugas, que me fazem parecer ter mais 20 anos.

 

Obrigada desde ja,

 

Ana