Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Manter os dentes ou substituí-los por implantes?

Já falámos dos diversos tipos de tratamento possíveis de efectuar, de forma a melhorar a nossa saúde, função e estética oral. Já explicámos em que consiste uma desvitalização e em que consistem os implantes dentários, cada um com as suas respectivas indicações e limitações.

 

Actualmente vivemos num Mundo de gratificação instantânea. Ter conforto, produtos, serviços ou informações nunca foi tão fácil, graças às novas tecnologias e à comunicação cada vez mais global. As pessoas estão mais impacientes, querem resultados rápidos, simples e, no fundo, “Value for Money”. Isto traz, obviamente, consequências para a Medicina Dentária, e para a percepção que os clientes poderão ter face aos tratamentos.

 

Até há algumas décadas atrás, a extracção era o tratamento de eleição para dentes fracturados, cariados, etc. Com o advento da Implantologia, a reposição / substituição dos dentes perdidos, de forma fixa e estética, tornou-se uma realidade. No entanto, esta “facilidade” poderá ter efeitos perversos: assistiu-se a uma tendência “extraccionista”, em que dentes possivelmente recuperáveis começaram a ser extraídos e substituídos por implantes dentários.

 

Podemos afirmar que o nosso dente, quando bem tratado e recuperado, é sempre preferível a um implante dentário. Uma das armas mais importantes ao nosso dispor é a Endodontia, a especialidade da Medicina Dentária que se dedica à desvitalização dos dentes, e que permite recuperar dentes que outrora teriam de ser, inevitavelmente, extraídos.

 

Este tratamento deverá ser feito por profissionais bem treinados e requer tempo, bons materiais e boa formação. Um dente correctamente desvitalizado e reconstruído com uma coroa em cerâmica tem um prognóstico excelente a longo prazo, e esta opção deverá ser sempre bem ponderada face à substituição por um implante dentário.

 

Os implantes dentários são um tratamento de vanguarda e com altíssima taxa de sucesso, mas não devem ser a panaceia para todas as situações, pese embora o facto de permitirem a substituição de dentes perdidos ou irrecuperáveis. A Medicina não é Matemática, cada caso é um caso, por isso não podemos propor os mesmos planos de tratamento a todos os clientes!

 

Assim sendo, pondere bem antes de extrair os seus dentes, discuta o seu caso com o seu Médico Dentista, informe-se dos prós e contras, e faça parte do processo de decisão. Não seja um mero espectador quando é a sua saúde que está em causa!

 

Equipa White

Desvitalizações

Bom dia,

 

Faz um ano que desvitalizei um pré-molar (mandibula superior). Embora eu me tenha queixado em tempo real (i.e. aquando do processo) de sensibilidade do dente à medica, esta simplesmente nada fez, pelo que fechou o dente. 7 meses depois voltei a queixar-me do dente sendo que me foi dito que tinha uma carie. Foi restaurado, com um parafuso. Voltei a sentir um desconforto, e cresceu um pequeno granulo no osso, na raíz do dente. Depois de efectuar um radiografia, após sucessivas queixas a outro medico, foi-me dito que a desvitalização não tinha sido bem feita e que podia re-desvitalizar o dente. No entanto, consultei outras opiniões de outros profissionais me disseram que seria dificil retirar todo o cimento até chegar à raíz e que o melhor seria portanto tirar o dente definitavemente (visto que não apresenta infecção nem quisto). Não queria de forma nenhuma tirar o dente, mas simultaneamente tenho dúvidas sobre a viabilidade do processo e receio de acumular problemas em relação ao osso impedindo-me de colocar um implante. O re-tratamento é possível nestes casos com elevada percentagem de sucesso ou não?

 

Cumprimento,

 

Liliana Silva

 

 

Desvitalização - retratamento

Olá amigos,

 

Fiz um canal há uns cinco anos acho que é um pre molar, (ou molar?) mas a peça que foi colocada quebrou e demorei uns meses para ir à dentista. Ela então resolveu tratar de novo o canal para eliminar uma possível contaminação e fez o procedimento hoje, mas exagerou e arrombou o dente e perfurou minha gengiva. Agora estou com um furo de uns três milímetros no meio da gengiva e estou com medo... será que não pode haver a tal contaminação que ela queria combater? É comum isso acontecer? Será que esse furo vai fechar?
 
Obrigada por sua atenção 
 
 

Retratamento endodôntico ou Extracção

Boa noite, tenho algumas duvidas em relaçao a um dente inferior no maxilar esquerdo, começo por contar que desde pequeno que tenho um trauma grande em relaçao a dentistas e isto porque quando tinha 7 anos trataram-me um dente com cárie sem anestesia podem imaginar o resultado e o trauma com que fiquei. voltando a questao fulcral este meu dente desde que ficou doente e ao fim de ter corrido alguns dentistas os quais nunca me resolveram o problema, aqui confesso que por minha culpa pois ao mais pequeno toque bruto eu levantava-me da cadeira e vinha-me embora, até que conheci o meu dentista actual tenho-o em muito boa conta pois alem de achar que é um bom profissional tem aquilo que eu acho que faz falta á maioria dos tentistas deste pais que é a paçiência para com o doente. em resumo  o problema que me atormenta é que ao fim de 6 anos altura em que desvitalizei este dente agora começou a doer-me com dores muito fortes e insuportaveis nao revela qualquer patologia obsessica mas nem sequer consigo fechar a boca por completo pois nada pode tocar neste meu dente as dores sao de ir a locura. após ter contactado o meu dentista ele receitou-me antibiótico e anti inflamatório mas desde sempre me foi avisando para eu me mentalizar que quando este dente começar a doer era para ser arrancado e aqui começa a minha duvida tenho falado com alguns amigos e quase todos me dizem que se o dente for novamente aberto e limpo nao é preciso ser arrancado o que hei-de fazer? 

agradeço desde ja a vossa resposta e fico muito grato pela vossa atençao quero apenas dizer que tenho 45 anos e no próximo dia 30 tenho a marcaçao feita para estrair o dito dente.muito obrigado.