Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Manter os dentes ou substituí-los por implantes?

Já falámos dos diversos tipos de tratamento possíveis de efectuar, de forma a melhorar a nossa saúde, função e estética oral. Já explicámos em que consiste uma desvitalização e em que consistem os implantes dentários, cada um com as suas respectivas indicações e limitações.

 

Actualmente vivemos num Mundo de gratificação instantânea. Ter conforto, produtos, serviços ou informações nunca foi tão fácil, graças às novas tecnologias e à comunicação cada vez mais global. As pessoas estão mais impacientes, querem resultados rápidos, simples e, no fundo, “Value for Money”. Isto traz, obviamente, consequências para a Medicina Dentária, e para a percepção que os clientes poderão ter face aos tratamentos.

 

Até há algumas décadas atrás, a extracção era o tratamento de eleição para dentes fracturados, cariados, etc. Com o advento da Implantologia, a reposição / substituição dos dentes perdidos, de forma fixa e estética, tornou-se uma realidade. No entanto, esta “facilidade” poderá ter efeitos perversos: assistiu-se a uma tendência “extraccionista”, em que dentes possivelmente recuperáveis começaram a ser extraídos e substituídos por implantes dentários.

 

Podemos afirmar que o nosso dente, quando bem tratado e recuperado, é sempre preferível a um implante dentário. Uma das armas mais importantes ao nosso dispor é a Endodontia, a especialidade da Medicina Dentária que se dedica à desvitalização dos dentes, e que permite recuperar dentes que outrora teriam de ser, inevitavelmente, extraídos.

 

Este tratamento deverá ser feito por profissionais bem treinados e requer tempo, bons materiais e boa formação. Um dente correctamente desvitalizado e reconstruído com uma coroa em cerâmica tem um prognóstico excelente a longo prazo, e esta opção deverá ser sempre bem ponderada face à substituição por um implante dentário.

 

Os implantes dentários são um tratamento de vanguarda e com altíssima taxa de sucesso, mas não devem ser a panaceia para todas as situações, pese embora o facto de permitirem a substituição de dentes perdidos ou irrecuperáveis. A Medicina não é Matemática, cada caso é um caso, por isso não podemos propor os mesmos planos de tratamento a todos os clientes!

 

Assim sendo, pondere bem antes de extrair os seus dentes, discuta o seu caso com o seu Médico Dentista, informe-se dos prós e contras, e faça parte do processo de decisão. Não seja um mero espectador quando é a sua saúde que está em causa!

 

Equipa White

DOENÇAS SILENCIOSAS... A DIABETES.

A diabetes é uma doença em crescimento, que atinge cada vez mais pessoas em todo o mundo e em idades mais jovens. No entanto, há grupos de risco com fortes probabilidades de se tornarem diabéticos.


QUEM TEM RISCO DE TER DIABETES?

  • Pessoas com familiares diretos com diabetes;
  • Homens e mulheres obesos;
  • Homens e mulheres com tensão arterial alta ou níveis elevados de colesterol no sangue;
  • Mulheres que contraíram a diabetes gestacional na gravidez;
  • Crianças com peso igual ou superior a quatro quilogramas à nascença;
  • Doentes com problemas no pâncreas ou com doenças endócrinas.

Os sintomas da diabetes, nunca é demais relembrar.

 

DEVE ESTAR ATENTO AOS SEGUINTES SINAIS:

 

Nos adultos - A diabetes é, geralmente, do tipo 2 e manifesta-se através dos seguintes sintomas:

  • Urinar em grande quantidade e muitas mais vezes, especialmente durante a noite (poliúria);
  • Sede constante e intensa (polidipsia);
  • Fome constante e difícil de saciar (polifagia);
  • Fadiga;
  • Comichão (prurido) no corpo, designadamente nos órgãos genitais;
  • Visão turva.

Nas crianças e jovens, a diabetes é quase sempre do tipo 1 e aparece de maneira súbita, sendo os sintomas muito nítidos:

  • Urinar muito, podendo voltar a urinar na cama;
  • Ter muita sede;
  • Emagrecer rapidamente;
  • Grande fadiga, associada a dores musculares intensas;
  • Comer muito sem nada aproveitar;
  • Dores de cabeça, náuseas e vómitos.

É importante ter presente que os sintomas da diabetes nas crianças e nos jovens são muito nítidos. Nos adultos, a diabetes não se manifesta tão claramente, sobretudo no início, motivo pelo qual pode passar despercebida durante alguns anos. Os sintomas surgem com maior intensidade quando a glicemia está muito elevada. E, nestes casos, podem já existir complicações (na visão, por exemplo) quando se deteta a doença.

 

Devidamente tratada, a diabetes não impede o doente de ter uma vida perfeitamente normal e autónoma. Contudo, é fundamental que o diabético se ajude a si mesmo, autocontrolando a sua doença. Aliás, se o doente for determinado neste papel de autovigilância, a sua vida ficará muito facilitada.

 

O papel do nutricionista nesta doença é elementar. O nutricionista é um profissional de saúde de nível superior que atua em todas as áreas do conhecimento em que a alimentação seja fundamental para a promoção, manutenção e recuperação da saúde, sem perder de vista o prazer que uma refeição deve proporcionar. Existe a falsa ideia de que o doente diabético tem que fazer dieta para a vida e isso só de pensar gera angústia… Se, com a minha ajuda, reeducar os seus hábitos, adequando os seus gostos às suas necessidades, a palavra “dieta” pode ser abolida!

 

Conte com a minha ajuda e faça da sua alimentação o seu “remédio”. 

 

Iara Rodrigues

Directora do Departamento de Nutrição WHITE

 

Tema do Mês - Ano Novo, Vida Nova!

Dermatologia Estética

 

O mês de Janeiro é sempre o mês das boas intenções, o mês do planeamento das metas a alcançar e das promessas a cumprir. É verdade, há sempre mil e um projetos a realizar. Mas apesar disso, e exatamente por isso, decidimos propor-lhe mais um: Revitalizar a sua pele.

Os excessos alimentares da época natalícia, o pouco tempo de repouso, o alcool, o tabaco, as maquilhagens mais elaboradas, tudo isso contribui para um maior “desgaste” e envelhecimento da sua pele. É portanto uma boa altura para fazermos um tratamento de “choque” revitalizante.

A aplicação de vitaminas, sais minerais, antioxidantes e ácido hialurónico não reticulado pela técnica de mesoterapia – micropunção com aplicação direta na derme – constitui um dos métodos mais eficazes para revitalizar a sua pele, exatamente no local onde ela mais precisa.

Os suplementos alimentares dermatológicos, ricos em resveratrol, licopeno, chá verde, vitaminas e sais minerais, conhecidos pelas suas potentes capacidades antioxidantes complementam, revitalizando a partir do interior.

Simples, mas eficaz.

Projeto a incluir para 2012?

 

 

Leonor Girão

Dermatologista

Diretora Clínica de Dermatologia

Clínica White

 

 

Tema do Mês - Tabagismo - Psicologia

Se é fumador com certeza conhece os malefícios que o tabaco tem para sua saúde, por isso vamos poupá-lo a esses argumentos amplamente debatidos.

O que talvez desconheça é o mal que faz à sua pele e cabelo, as implicações que tem nas cirurgias, tratamentos estéticos e na sua saúde oral e estética dentária. Na White, preocupamo-nos com a sua saúde e beleza mas também com o seu bem-estar, por isso queremos ajudá-lo.

Quantas vezes já tentou deixar de fumar? Sabia que apenas 5% dos fumadores que tentam deixar de fumar o conseguem fazer sem ajuda de um programa especifico?

O nosso Programa de Cessação Tabagica – Programa Respirando, junta todas as abordagens comprovadas como mais eficazes para deixar de fumar (Sessões de Grupo ou Individuais, Bio e Neurofeedback, Nutrição e Acupunctura). Ao longo de 6 meses pode aprender um conjunto de estratégias que lhe irão ser muito úteis. Pode treinar técnicas de relaxamento que o ajudarão sempre que surgir o impulso para fumar, técnicas de motivação, aprender a monitorizar as suas reacções e consumos e criar alternativas viáveis ao habito.

Este programa está ainda desenhado para o apoiar nas eventuais recaídas e dificuldades ao longo de 4 meses e assim poder reverter deslizes. Estudos indicam que quem deixa de fumar faz entre 4 a 7 tentativas antes de o conseguir, isto significa que as recaídas têm que ser prevenidas.

 

Não se iluda!

Todos os motivos seriam suficientemente fortes para deixar de fumar se os cigarros não lhe causassem dependência.

O hábito de fumar na realidade não envolve apenas uma dependência física mas também uma dependência social e emocional. Este hábito está de tal modo automatizado em si que o leva a pegar num cigarro em diversas situações do seu quotidiano, como por exemplo,  situações de maior pressão no trabalho, discussões familiares, eventos sociais, quando bebe café ou álcool, quando se sente triste, irritado, feliz ou acabou uma determinada tarefa, quando está à espera do autocarro, quando conduz ou quando não tem nada para fazer. Assim, os cigarros são muitas vezes usados para mascarar emoções desconfortáveis como a tristeza ou a ansiedade.

 

Por não ser uma tarefa fácil é importante que procure ajuda de um programa especializado que o ajude a deixar de fumar.

 

 

Catarina de Castro Lopes

Responsável pelo Departamento de Psicologia na White

 

Tema do Mês - Tabagismo - Dermoestética

Quando a pele respira o mesmo que os seus pulmões..

 

Seja fumador activo ou passivo, todos sabemos o quão prejudicial é o fumo do tabaco para a nossa saúde em geral, mas raramente nos lembramos dos estragos que, ao longo do tempo, provoca à pele.

Os indícios de ser fumador não se limitam ao odor oral mas também corporal, nomeadamente no odor do cabelo e das roupas, para além das manchas amareladas nos dedos e nas unhas, o que, no caso de ser fumador, sabemos que bem reconhece e também não aprecia. Agora imagine o que sentirão os não fumadores que o rodeiam!

É normal que ao olhar-se diariamente ao espelho não note os efeitos imediatos do fumo do tabaco, pois este actua silenciosamente no decorrer dos anos, ou seja, as toxinas da combustão do tabaco ficam em suspensão e os seus efeitos só se manisfetam e são detectados muito mais tarde. Para que tal aconteça não tem de ser necessariamente fumador, basta trabalhar ou viver a maior parte do dia a dia num ambiente de fumador.

No entanto, se é fumador activo os efeitos serão mais visíveis e agressivos em vários aspectos da sua saúde, incluindo o aspecto da sua pele. Vejamos que, se por um lado, a nicotina actua como um potente vasoconstritor, dimimuindo o fluxo sanguineo e dificultando a oxigenação da pele, por outro lado funciona como um inibidor à função dos fibroblastos essenciais na produção de colágénio e elastina. Neste sentido, uma pele asfixiada, com as defesas naturais enfraquecidas e permeável às agressões externas, é inevitavelmente uma pele envelhecida. O aparecimento das rugas é prematuro, a textura e o aspecto saudável vão-se deteriorando, ficando com a pele fica baça, amarelada e enrugada.

Cuidar da pele é essencial para todos nós mas para si, no caso de ser fumador, torna-se preventivo e indispensável! Simples actos como uma boa limpeza, lavagem, nutrição e protecção são os que deve colocar em prática diária e activamente. Actualmente, para além dos cuidados diários que todos devemos ter em conta, para si que é fumador existem diversas técnicas que incidem num nível mais profundo da pele, como os peelings químicos em que a camada superficial é removida, as manchas são combatidas e suavizadas, dando um aspecto mais saudável à sua pele. As vitaminas e nutrientes que a mesoterapia restituem à sua “pele fumadora” também são extremamente eficazes, bem como os cosmocêuticos.

Hoje já se olhou ao espelho? Acha que as olheiras e incongruências de várias ordens da sua pele são normais e passageiras?

Caro leitor, pare um pouco e olhe bem para si, repense as suas acções e prioridades diárias. O seu exterior, neste caso a sua pele, é o espelho do seu interior. Talvez esteja na altura de se cuidar mais e melhor. Seja para aconselhá-lo e ensiná-lo a cuidar da sua pele diariamente e em casa, seja para tratar da sua pele de uma forma mais activa e intensiva, estamos aqui para o ajudar!

 

Departamento de Dermoestética da White

A alegria e felicidade são o estado natural de saúde

Todos os dias nos deparamos com imagens de corpos jovens, atléticos e perfeitos. Na sociedade actual o corpo mostra a sua omnipresença, sendo bem visível na publicidade, na moda e na cultura. O reforço dado pelos "media" em mostrar formas físicas atraentes, faz com que a nossa sociedade se lance em busca de uma aparência física idealizada. Verifica-se cada vez mais a valorização da estética, tendo esta vindo a assumir particular importância uma vez que provoca sentimentos de aceitação ou de censura social, conduzindo as pessoas a percepcionarem a beleza como o "ingrediente chave" para o sucesso na sua vida.


Assiste-se ainda a uma sobrevalorização da juventude, queremos parecer eternamente jovens, pois sermos jovens significa estarmos no nosso máximo potencial a nível físico e mental. Existe pânico geral quando se fala de velhice e aparecimento de rugas faciais, despoletando assim um desejo em eliminá-las, extinguindo desta forma os sinais de envelhecimento. Esta cultura padronizada de beleza, na qual a juventude está implícita, influencia a forma como a maioria das pessoas percebem os seus corpos. Aspirando conseguir este ideal, ficam insatisfeitas com a sua aparência física, levando esta percepção negativa a estados afectivos negativos.

 

A forma como percepcionamos o nosso corpo, ou seja a nossa "auto-imagem" tem como base experiências e vivências, assim como estímulos presentes e expectativas futuras. Ter uma boa "auto-imagem" potencializa a beleza e a saúde, estando esta directamente relacionada com a auto-estima, as pessoas que se avaliam como belas (ou seja, que têm uma boa auto-imagem) têm maior facilidade em apresentar mais auto-estima, o que lhes proporciona uma melhor qualidade de vida relativamente àquelas que não se vêem como tal, apesar de muitas vezes serem bastante atraentes (tendo em conta o "padrão" actual de beleza). O que acontece por vezes é que a auto-estima distorce a "auto-imagem".

 

 

Catarina de Castro Lopes
Psicóloga Clínica na WHITE

Sorriso bonito e branco, como conseguir?

Boa Noite,

 

Tenho 32 anos, e sempre sofri dos dentes. Já me extrairam muitos dentes, penso que tenho algumas cáries, e não quero usar uma placa.

Gostava de ter um sorriso bonito e branco, como as actrizes das novelas brasileiras, mas não sei por onde começar...Podem ajudar-me?

 

Obrigada desde já pela atenção!

 

Maria F.

 

---------------------------------------------------------------

 

Boa Noite Maria,

 

O primeiro passo para obter um sorriso bonito é ter uma boca saudável e cuidada. Mas como?

Antes de mais, com prevenção, tendo correctos cuidados de higiene oral diária (utilizando o fio dentário, escovando 2 ou 3 vezes por dia os seus dentes, e visitando o seu Higienista Oral duas vezes por ano).

 

Caso já existam problemas (cáries, doença periodontal / gengival, dentes que necessitem de

desvitalizar, etc), essa deverá ser a prioridade, antes de pensar em tratamentos estéticos. Primeiro a saúde, depois a função (recuperar dentes perdidos com implantes dentários, por exemplo) e só depois a estética (branqueamento dentário, facetas e coroas em cerâmica, etc).

 

Uma vez restabelecida a saúde, há que recuperar a capacidade mastigatória. Para isso poderemos pensar em estruturas removíveis (as vulgares "placas") ou estruturas fixas (pontes, coroas, etc.). Quando os tecidos ósseos e gengivais o permitirem, poderemos colocar implantes dentários (raízes artificiais em titânio, que substituem as raízes dos dentes naturais), e sobre eles dentes fixos em cerâmica ou acrílico.

 

Uma vez superadas estas etapas, pensaremos então em estética. Hoje em dia, quase não existem limites para aquilo que é possível fazer em Medicina Dentária Estética...Branqueamentos, facetas em cerâmica e compósito, microcirurgia plástica gengival, etc... Com todas estas "armas", uma equipa de médicos dentistas competentes e credenciados poderão ajudá-la a obter tudo aquilo com sempre sonhou, tendo sempre em conta que as suas expectativas deverão ser minimamente realistas.

 

Esperando ter ajudado a esclarecer as suas dúvidas,

 

A equipa da WHITE

 

 

PS: Aqui estão algumas imagens daquilo que se consegue fazer hoje em dia: