Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Dentes alinhados e Saúde Geral

Uma maloclusão dentária é consequência de anomalias na posição e desenvolvimento dos dentes (desalinhamento dentário) e de alterações morfológicas dos ossos maxilar e mandibular.

 

O objetivo da ortodontia é corrigir tais anomalias, que, muitas vezes têm consequências importantes não só do ponto de vista estético, mas também a nível funcional. Tais problemas comprometem o correto funcionamento dos músculos mastigatórios e das articulações temporo-mandibulares.

 

Uma maloclusão, em situações mais avançadas, pode criar uma patologia oclusal:  isto significa problemas a nível da coluna, dores de cabeça, cansaço muscular, dores cervicais e vertebrais, queixas do ouvido e da postura.

 

Caso 1

 antes.JPGdepois.JPG

 

A atual abordagem da ortodontia deve inevitavelmente avaliar, numa primeira consulta a situação de equilíbrio entre estética e funcionalidade, detetando inicialmente os vários problemas que podem afetar o bem-estar do paciente a vários níveis.

 

Em muitos casos, uma abordagem não invasiva, como a realização de uma goteira noturna, é suficiente para eliminar a sintomatologia. No entanto quando o problema é recorrente, para o resolver definitivamente é necessária a colocação de um aparelho ortodôntico (a técnica invisível (Invisalign®) é muitas vezes a mais indicada) ou a realização de uma reabilitação recorrendo a implantes e coroas cerâmicas dentárias para restabelecer uma oclusão saudável.

 

Caso 2

before.jpgafter.JPG

Coroas vs Facetas

Coroas e facetas são duas diferentes peças de cerâmica feitas em laboratório. A principal diferença entre as duas é que as coroas recobrem a totalidade do dente enquanto as facetas apenas cobrem a face frontal dos mesmos.

 

DSC_7089.JPGDSC_8798.JPG

           Coroas                                 Facetas

 

A colocação da coroa dentária requer um desgaste maior da superfície do dente. Quando o dente é preparado é reduzido ao tamanho e forma de chama. Quando a coroa é cimentada passa a ser a nova superfície do dente.

 

As coroas têm uma espessura de 2mm ou mais. As facetas são mais finas que as coroas, medindo cerca de 1mm ou menos de espessura. É portanto necessário um menor desgaste dentário para colocação de facetas. Faz-se uma pequena redução na face anterior do dente, a face posterior não é tocada. Com algumas técnicas chega a não ser mesmo necessário tocar no dente.

 

Ambas as estruturas são aderidas ao dente com materiais específicos para cimentação. Esta cimentação é definitiva, o que significa que não voltam a descolar, para a remoção têm que ser destruídas.

cimentação.jpg

            Cimentação

 

Existem alguns fatores determinantes para a escolha de uma coroa ou faceta. As coroas têm como objetivo recriar um dente natural. São aconselhadas para reconstrução dentária quando há grande destruição do dente. Podem ser usadas para fazer uma grande alteração de cor ou forma do dente. Quando estamos perante a colocação de um implante será esta estrutura que o vai cobrir. Para além disto as coroas são muito fortes e duradouras, são uma boa opção para dentes que estão expostos a fortes forças mastigação.

Caso clínico de coroas:

coroas inicial.jpgcoroas final.jpg

                     Inicial                                                Final

As facetas são utilizadas com funções mais estéticas. São indicadas para alterações ligeiras de cor e forma. Têm que ser colocadas em dentes cuja estrutura está sã e intacta. Estas cerâmicas também são fortes mas quebráveis, sendo que funcionam melhor em zonas onde a força sobre as mesmas vai ser mínima ou passiva.

Caso clínico de facetas:

facetas incial.jpgfacetas final.jpg

                     Inicial                                                Final

O passo mais importante para que você garanta a longevidade da sua coroa e faceta é com uma boa higiene oral e visitas regulares ao seu dentista.

Jato de água

O jato de água é um dispositivo para cuidados diários de higiene em casa. Ele funciona através de um fluxo pulsativo de água que ajuda para remover placa e comida entre os dentes e abaixo da linha da gengiva para melhorar a saúde gengival. Este facilita a higiene oral nas zonas de difícil acesso. Para além disto, estimula e massaja as gengivas.

waterpick.jpg

 

Como se usa o jato de água?

Deve colocar água morna no depósito, pode também juntar um pouco de elixir ou colutório à água. Selecione a ponta mais adequada e inseri-a no cabo. Relativamente à pressão da água, deve iniciar com uma mais baixa e aumentar progressivamente. Antes de ligar o jato deve introduzir a ponta na boca. Apontar a ponta do jato para os espaços entre os dentes ao longo da linha da gengiva. A posição recomendável da ponta é que esteja num ângulo de 90 graus com seus dentes.

Passe o jato tanto pela parte de fora como pela parte de dentro dos dentes, começando numa ponta e de forma sequencial para que não se esqueça de nenhum espaço interproximal.

WaterpikUse.jpg

Para além da utilização normal, este dispositivo facilita a higiene de pontes, onde normalmente teria que utilizar o superfloss. Neste caso deve apontar a ponta do jato para baixo da ponte (na junção desta com a gengiva) e higienizar com maior facilidade por baixo da mesma.

No caso de colocação de implantes, o jato é uma grande ajuda para o cuidado diário dos mesmos, higienizando abaixo da gengiva e bem junto ao implante.

Para quem tem aparelho ortodôntico o jato pode ser usado para remover placa tanto entre os dentes, onde é difícil passar o superfloss e o muitas vezes o escovilhão como junto aos brackets, onde o acesso com a escova é difícil.

 

41bC+NCHvrL.jpg328.jpgbraces-and-smiles-waterpik.png

Atenção que o jato de água deve ser combinado com uma correta escovagem para obter melhores resultados na remoção de placa bacteriana e não como substituto da mesma!

 

A equipa White Clinic

Linha Negra

A linha negra (figura 1 e 2) consiste numa pigmentação negra, extrínseca à superfície do esmalte, que se dispõe normalmente de forma linear acompanhando o contorno gengival e que afeta na maior parte das vezes os dentes posteriores. Esta é mais frequente em dentes de leite, podendo, no entanto estender-se aos dentes permanentes.

DSC_5227.JPGFigura 1

DSC_5231.JPGFigura 2

 

Esta pigmentação é devida a um composto férrico resultante da interação de um produto produzido por bactérias e os iões de ferro constituintes da saliva. A cor negra deve-se à melanina, hemina e sulfuretos ferrosos.

 

Apesar desta situação não estar diretamente ligada com a higiene oral em casa, alguns estudos mostram que a taxa de prevalência aumenta em indivíduos com má higiene, portanto com maior acumulação de placa bacteriana.

 

Estas manchas não estão associadas ao aumento da cárie dentária, nem qualquer outro tipo de problemas orais, sendo apenas uma questão estética. Para a remoção da mesma é necessário recorrer ao seu Higienista ou Médico Dentista, que o fará através de um polimento adequado. No entanto, este pigmento tem tendência a reaparecer pouco após a sua remoção.

 

Após consulta de Higiene Oral:

DSC_0045.JPG

DSC_0047.JPG

 

Caso Clínico - Higiene Oral

CASO:

 

Jovem de 33 anos, do sexo feminino com história clínica de Diabetes tipo II. Apresentava um diagnóstico de doença gengival por maus hábitos de higiene oral e em alguns dentes já evidenciava perda óssea e mobilidade (periodontite).

 

Sabe-se que a história de Diabetes e Periodontite está muitas vezes associada, uma vez que há uma desregulação imunológica nos diabéticos. A hiperglicémia aumenta a suscetibilidade a infeções, alterações vasculares que provocam atraso na cicatrização, promovendo um aumento da destruição tecidular.

 

Plano de Tratamento de Higiene Oral:

  • uma consulta de destartarização e polimento inicial
  • duas consultas de curetagens por maxilar
  • consulta de Diagnóstico Periodontal
  • consulta de H.O para análise
  • consultas de manutenção de 3 em 3 ou 4 em 4 meses;

 

Caso Higiene Oral - White Clinic

Maio 2012 (foto inicial)

 

 

Caso Higiene Oral - White Clinic

Fevereiro 2013 (1ª consulta de manutenção após plano de tratamento)

 

 

Caso Higiene Oral - White Clinic

Junho 2013 (2ª consulta manutenção após plano de tratamento)

 

 

WHITE Dental Team

 

Restaurações directas com resina composta… uma solução conservadora

A resina composta ou compósito, vulgarmente denominado pelos pacientes pela “massa branca”, é cada vez mais uma solução estética e bastante conservadora, em relação aos tratamentos definitivos com cerâmicas.

 

Os compósitos que temos hoje em dia ao nosso dispor conseguem cada vez mais mimetizar os dentes naturais possibilitando resultados bastante estéticos.

 

Hoje mostramos um caso de uma paciente do sexo feminino com 33 anos que não estava satisfeita com o seu sorriso. Sentia os dentes muito manchados e muito pequeninos com uma grande exposição de gengiva quando sorria.

 

Foi proposto à paciente consultas regulares de higiene oral, gengivoplastia (recontorno da gengiva) nos destes superiores para que tivéssemos maior exposição de dente, branqueamento dentário, e restaurações estéticas em compósito nos dentes anteriores superiores e inferiores.

 

 Restaurações - WHITE Dental Team

 

Restaurações 2 - WHITE Dental Team

 

 

 

WHITE Dental Team

 

Dentes fixos… Um sonho com 30 anos!

Caso clínico de um paciente do sexo masculino com 63 anos que procurou a clinica White porque queria deixar de usar prótese removível.  

Usava  a mesma há mais de 30 anos e já há bastante tempo que gostaria de ter dentes fixos. 

 

Foi proposto ao paciente colocação 6 implantes dentários no maxilar superior, 3 no maxilar inferior e posterior reabilitação com coroas cerâmicas de toda a arcada superior e dos implantes inferiores.

 

Numa primeira fase foi realizada cirurgia para a colocação de todos os implantes e cirurgia nos dentes superiores anteriores  para nivelamento das gengivas. Esperou-se cerca de 6 meses de cicatrização e por fim a reabilitação com coroas de cerâmica.

 

O caso foi finalizado em 8 meses.

 

Dentes fixos - Antes - White

 

Dentes fixos - White - Depois

 

WHITE Dental Team

A Psicoterapia é eficaz?

Nos últimos 50 anos tem sido estudada a eficácia da Psicoterapia. Diversos estudos empíricos demonstram que 40% a 60% dos pacientes melhoram a sua qualidade de vida e que a terapia tem benefícios práticos na sua rotina diária. Estudos provam que 30% dos pacientes atingem um benefício duradouro após apenas três sessões.

 

A psicoterapia facilita a remissão de sintomas perturbadores e melhora o funcionamento diário das pessoas. O acompanhamento psicológico proporciona bem-estar e fornece estratégias e recursos para lidar com problemas futuros. Está provado que um amplo leque de terapias, quando executadas por terapeutas profissionais, competentes e qualificados resultam em ganhos consideráveis para o paciente, incluindo um retorno ao funcionamento habitual.

 

Photograph: Stockbyte/Getty

 

Alguns estudos compararam a psicoterapia com a farmacologia para tratamento de Depressão e descobriram que depois da intervenção a percentagem de recaída era muito superior nos pacientes que receberam medicação antidepressiva (57%) comparada com os que estiveram em psicoterapia (27%). Provavelmente está associado ao interesse dos psicoterapeutas em mudanças duradouras em vez de temporárias.

 

Caso necessite, não hesite em pedir ajuda da psicoterapia.

 

 

Catarina de Castro Lopes

Directora Clínica de Psicologia na White

As críticas dos outros podem interferir na nossa auto-estima?

É natural darmos importância a forma como somos vistos e valorizados por outras pessoas. A opinião dos outros é importante para nós, sendo muitas vezes através dos outros que nos integramos a nós mesmos. Somos seres sociais, vivemos em grupo, logo é natural que sintamos a sua pressão e influência. A auto-estima é uma necessidade que cumpre a função de fazer corresponder a visão que os outros têm de nós ao que somos verdadeiramente, e ao facto de correspondermos aos padrões culturais. Monitoriza e regula a aceitação social das pessoas, no sentido de evitar a rejeição em sociedade.

 A forma como a opinião dos outros tem impacto em nós depende da interpretação que damos a essa informação e da auto-estima que temos. Se for uma pessoa insegura, se a sua estima não estiver fortalecida ou se for demasiado exigente consigo mesmo pode haver um género de filtro mental, que absorve todas as criticas negativas ou depreciativas, indo ao encontro da imagem negativa que tem de si próprio.

  

A auto-estima é indissociável da autocritica. Apenas podemos alcançar apreço por nós mesmos quando se torna possível tomar em consideração as autocríticas, isto é, a capacidade de identificar, tolerar e aprender em função das nossas insatisfações pessoais, e as heteroclíticas ou criticas dos outros. 


Uma pessoa com auto-estima torna-se mais capaz de tolerar as críticas e eventualmente aprender com elas nos diferentes momentos da sua vida. Se a crítica que fazemos sobre nós for adequada proporciona aprendizagem, evita erros futuros e consequentemente leva ao crescimento pessoal. Se, por outro lado, forem de caracter culpabilizante ou destrutivo podem ameaçar a auto-estima.


Se existir uma auto-estima fortalecida, se estiver seguro do seu valor, sentirá uma maior serenidade perante as opiniões dos outros. Mais importante do que os outros pensam de nós, é o que pensamos sobre nós mesmos. De que adianta os outros gostarem de si ou respeitarem-no se quando se olha ao espelho não respeita o que vê?

Pense nisto.
 

Departamento de Psicologia
Catarina de Castro Lopes
Directora Clinica

A importância das Férias

As férias constituem uma pausa no ritmo de trabalho. Ajudam a diminuir o stress, a relaxar e a aumentar os níveis de energia e de criatividade.

O nosso organismo precisa de uma pausa periódica para recuperação do desgaste físico e mental. Quando conseguimos “recarregar as nossas baterias” podemos retomar ao trabalho mais bem dispostos e produtivos. Sabemos que um profissional satisfeito é aquele que produz e atinge resultados.

Por outro lado é importante termos este tempo disponível para actividades sociais, culturais ou desportivas, para organizarmos tudo aquilo que não conseguimos com a azafama do ritmo de trabalho e quem sabe, descobrir novas aptidões, pois as rotinas muitas vezes inibem a criatividade e produtividade. 

 

 

Há pessoas para quem as férias são momentos de verdadeiro descanso e relaxamento, mas há outras para quem são um grande período de tensão e fonte de stress. Talvez porque ficam demasiado impacientes para as tão aguardadas férias, elaborando expectativas demasiado elevadas ou irrealistas relativamente ao bem-estar que imaginam atingir nesse período. Fantasiam sobre aquelas semanas que magicamente acreditam que irão “consertar” tudo.

Para que este periodo seja agradável e vivido sem stress é necessário programar periodos de relaxamento e diversão assim como dividir algumas tarefas (p.e. cuidados a ter com as crianças, tarefas domesticas, etc).

 

Alguns motivos de stress que surgem durante as férias e que podem interferir na harmonia e descanso desse período:

Dificuldades Financeiras. Quando pensamos em férias muitas vezes planeamos sair de nossa casa e ir para um local diferente do habitual o que implica algum investimento monetário. Pessoas com dificuldades financeiras podem sentir dificuldades na sua concretização o que pode levar a sentimentos de frustração.

Companhia. As férias são habitualmente passadas ao lado dos que nos são mais próximos (conjuge, familiares e amigos), pelo que aqueles que se sentem sozinhos podem ficar mais perturbados nesta altura do ano.

Outras vezes não estamos em sintonia com a(s) pessoa(s) que escolhemos passar as nossas férias. Queremos fazer algo diferente, temos ritmos biológicos mais ou menos acelerados ou gostos diferentes. Estarmos dependentes de outros pode causar stress. Procure gerir esses conflitos de interesses da forma mais harmoniosa que conseguir. Talvez possa negociar com os familiares ou amigos e alternarem programas preferenciais de forma a agradar a todos.

Insatisfação Corporal. No Verão existe também uma grande preocupaçao com o corpo, uma vez que está habitualmente mais exposto. A insatisfação com a aparência fisica pode levar ao evitamento de algumas situações sociais (p.e. ir a praia ou festas) e consequentemente ao isolamento.

Novo Ritmo. Existe uma necessidade inerente às férias de nos adaptarmos ao novo ritmo de sono e de alimentação, à mudança de local, actividade fisica diferente, ao convívio condensado com quem nos desabituámos de lidar, ao confronto com expectativas sociais que idealizam capacidades relacionais e exigem corpos esculturais.

 

Não descure as Férias!

Esta é uma boa altura para usufruir de momentos de bem-estar e satisfação. Respeite as suas necessidades para que possa conviver em maior paz e harmonia.

 

 

Catarina de Castro Lopes

Directora Clinica do Departamento de Psicologia