Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linha White

Ortorexia - Quando a alimentação saudável passa a obsessão

Esta perturbação é caracterizada por uma preocupação exagerada com o tipo de alimentos consumidos. Estas pessoas apenas ingerem alimentos saudáveis e escrutinam o conteúdo nutricional de cada alimento – calorias, vitaminas e nutrientes. Qualquer coisa que contenha o mínimo vestígio do que está na lista do “não permitido” não é consumido.

Esta rigidez alimentar levada ao extremo acaba por interferir na qualidade de vida destas pessoas, uma vez que a alimentação passa a controlar o seu dia-a-dia. Frequentemente recusam comer em casa de amigos ou familiares por nao saberem o que irá ser servido e são capazes de percorrer longas distancias para comprar os seus alimentos. A obsessão com a alimentação saudável interfere em actividades e interesses, prejudica as relações afectivas, tornando-se física e psicologicamente perigosa. Os problemas sociais são evidentes. Um ortorexico habitualmente isola-se socialmente por planear a sua vida em função da comida. Pode inclusive perder a capacidade de comer de forma intuitiva – não saber quando tem fome, quanto precisa comer ou quando está satisfeito.

A auto-estima destas pessoas é baseada na “pureza” dos alimentos consumidos.

Quando não conseguem seguir as suas regras alimentares desencadeiam processos de frustração, podendo mesmo chegar a depressão. Não se trata de uma preocupação normal em fazer uma alimentação saudável. Trata-se de um comportamento radical que condiciona toda a vida pessoal e social.


 

 

Será que eu tenho Ortorexia? Considere as seguintes questões:

 

- Só se permite comer alimentos saudáveis?

- Consegue comer uma refeição preparada por outra pessoa?

- Observa e comenta a maneira como outras pessoas preparam a comida?

- Dá consigo a pensar em conteúdo nutricional durante o dia?

- Seguir uma dieta saudavel é a sua prioridade na sua vida? O trabalho e a diversão estao em segundo plano?

- Sente-se culpado ou com raiva quando comete um pequeno deslize no seu plano alimentar?

- Sente-se sob controlo quando come apenas alimentos considerados saudaveis?

- Nao consegue entender como é que as outras pessoas podem comer determinados alimentos como fast food, enlatados, biscoitos, etc?

 

 Consequências da Ortorexia

Para alguns, a capacidade de concentração (no trabalho ou estudo) pode começar a declinar, à medida que os seus pensamentos se ocupam cada vez mais com a alimentação, com alimentos permitidos, como articula-los no seu dia-a-dia, quantas vezes se deve mastigar e por aí fora. O pensamento pode ficar totalmente ocupado com comida, deixando pouco espaço para outras ideias. A concentração e a motivação acabam por ficar na retaguarda.

A ortorexia pode acarretar graves prejuízos à saúde, caso o ortoréxico não substitua os alimentos que evita consumir por outros que lhe ofereçam o mesmo complemento nutricional. Entre as conseqüências fisicas encontram-se quadros de anemia e carência vitamínica. Apesar disso, o isolamento social é um prejuízo às vezes mais difícil de reparar do que os próprios danos físicos.

 

Tratamento

Tal como noutras perturbações alimentares, a ajuda de profissionais especializados é fundamental.

Embora seja uma perturbação pouco divulgada pode ter reprecussões serias para a saude (fisica e mental).

O acompanhamento psicológico em conjunto com o acompanhamento nutricional, são a chave para se ultrapassar esta obsessão. 

 

Nao deixe de pedir ajuda! Venha fazer uma avaliação gratuita connosco.

 

 

Departamento de Psicologia e Nutrição da White

Catarina de Castro Lopes (Directora do Departamento de Psicologia)

Iara Rodrigues (Directora do Departamento de Nutrição)

ESPECIAL “MARMITA”

Atualmente, para a grande maioria dos portugueses, não há carteira que resista a refeições fora todos os dias.

 

Muito já deu que falar a moda da “marmita”, que deixou de ser uma tendência para passar a ser um hábito já incutido nas nossas vidas. Aliás, as próprias empresas, com ou sem refeitório, acabaram por adaptar-se aos tempos, disponibilizando microondas para que os seus funcionários possam aquecer a comida que levam de casa.

 

A título de curiosidade, já deve ter reparado que esta moda abriu janelas de oportunidades para negócios de caixas e caixinhas, talheres coloridos e lancheiras que mais parecem de alta-costura… com preços e cores para todos os gostos.

 

A verdade é que levar as refeições de casa é uma atitude não só aconselhável como também inteligente:

 

- Se fizermos as contas a uma média de 6 euros por refeição, a poupança pode rondar os 150 euros por mês.

 

- Se for lanchar a um café ou pastelaria, fazendo as contas a 3 euros por lanche, dificilmente gastará por mês menos de 60 euros. 

 

Por isso, quando estiver a preparar a comida para levar para o trabalho, contemple também algo para as refeições intermédias e ainda um ou outro snack para andar no carro.  

 

A moda da marmita pode ter tido origem em questões económicas. Mas felizmente veio permitir juntar à vantagem da poupança os benefícios em matéria de saúde. Regra geral, uma refeição cozinhada em casa é mais saudável, em termos de sal, das gorduras processadas e da quantidade que se ingere. E as sopas, costumam ser iguais às que faz lá em casa? Não, pois não?!

Além disso, basta pensar que num restaurante onde o almoço custe 5 ou 6 euros, a qualidade dos alimentos dificilmente será a melhor – naturalmente os restaurantes tentam obter o maior rendimento com o menor custo.

 

Por todas as razões e mais alguma, se ainda não pertence ao clube dos “marmiteiros”, adira a esta onda!... Ganhe em dinheiro e em saúde e perca em quilos.

 

Iara Rodrigues

Directora do Departamento de Nutrição WHITE

 

O PESO IDEAL EXISTE?

Sou da opinião de que cada um de nós tem um peso ideal, que não coincide obrigatoriamente com o peso indicado pelos manuais.

 

Na teoria, chama-se peso ideal ao peso considerado recomendado para a sua altura, género e idade. Porém, veja o que acontece na prática: imagine duas pessoas com a mesma estatura e idade, cujo peso ideal pelos manuais são x kg. Pode acontecer que, para uma delas, esses x kg sejam efetivamente o seu peso ideal (o peso com que se sente bem) e que a outra sinta que esses quilos são demasiados para o seu corpo e que precisa de emagrecer um pouco.

 

Ou seja, na verdade não existe um peso ideal absoluto. Por isso, para passar da teoria à prática, não se foque no número que as tabelas indicam, mas sim na satisfação pessoal. As tabelas são meramente indicativas. Para estar bem tem de sentir-se bem com o seu peso, mesmo que esse peso não seja aquele número de referência indicado pela teoria.

 

A minha resposta à questão inicial – Será que existe um peso ideal? – é não! O peso ideal, na verdadeira aceção da palavra, não existe. Por isso, passe antes a pensar e falar em “peso desejado”. O seu peso desejado são x kg, mesmo que isso não coincida com o peso recomendado.

 

Vai atingir o seu peso desejado quando se sentir bem com o seu corpo e gostar da sua figura!

 

Iara Rodrigues

Directora do Departamento de Nutrição WHITE

 

PETISCAR SEM SE COMPROMETER

Dicas saudáveis para pôr em prática todos os dias

 

Geralmente, quando nos dá fome, temos a tendência de comer o que está mais à mão. Muitas das vezes, essa escolha está, no entanto, longe de ser a melhor.

 

O petisco pressupõe “pequenas doses de comida, ingeridas num ambiente descontraído e pode ser uma refeição ligeira e nutricionalmente adequada”.

 

No entanto, se não se prestar atenção ao que come irá cometer excessos. Aprenda, por isso, a evitar os erros mais comuns, seguindo os conselhos que se seguem:

 

- Faça do petisco o prato principal;

- Em casa, inclua opções como espetadas de tomate cereja, manjericão e queijo fresco, feta ou mozarella;

- Prefira petiscos ligeiros como amêijoas à bulhão pato, conquilhas ou salada de polvo;

- Não abuse do álcool;

- Sirva-se de uma só vez;

- Evite acompanhar os petiscos com pão;

- Desfrute da companhia dos amigos, converse, ria mais e coma menos;

- Não abuse dos fritos nem dos molhos;

- Antes de sair de casa para um convívio gastronómico com amigos, coma uma maçã e beba água.

 

 

Iara Rodrigues

Directora do Departamento de Nutrição WHITE

 

 

Respirando - Programa de Cessação Tabágica

Para todos os que pretendam respirar melhor, aumentar os seus anos de vida, melhorar a qualidade de vida, aumentar o seu orçamento mensal e obter resultados mais rápidos nos tratamentos da White sem quaisquer complicações pós-operatórias.

 

Quantas vezes já tentou deixar de fumar? Sabia que apenas 5% dos fumadores que tentam deixar de fumar o conseguem fazer sem ajuda de um programa especifico? Com o programa respirando ajudamo-lo com esta tarefa. Aceita o desafio?

 

O Tabaco e os Tratamentos

Quando procura um tratamento estético pretende melhorar a sua aparência, mas o hábito de fumar pode ser um obstáculo para chegar ao resultado pretendido. A nicotina provoca um efeito vasoconstritor das artérias e veias dificultando as circulações periféricas, diminuindo assim a capacidade de cicatrização do organismo. Para além da dificuldade de cicatrização, podem surgir complicações pós-operatórias.

 

O Tabaco e os Tratamentos Dentários

O hábito de fumar tem um efeito prejudicial nos resultados dos tratamentos dentários

- Escurece os dentes;

- Prejudica a higiene oral;

- Pode criar infecção depois da cirurgia;

- Aumenta o risco de doenças orais. Os fumadores têm 7 vezes mais probabilidade de desenvolver cancro oral;

- Duplica o risco de fracasso de implantes dentários, sendo em muitos casos uma contra-indicação;

- Aumenta a perda de osso alveolar, podendo diminuir resultados de enxerto ósseo.

 

O Tabaco e a Cirurgia Plástica

- Dificuldade na cicatrização;

- Aumento da probabilidade de surgirem cicatrizes hipertróficas (grossas e dolorosas);

- 3 vezes mais probabilidade de apresentar necrose da pele;

- Aumenta o tempo de edema (inchaço), pois a nicotina retarda a drenagem linfática;

- Maior risco de infecções;

- Maior risco de intercorrências referentes à anestesia;

- Maior risco de trombose venosa;

- Retarda o processo de recuperação no pós-operatório, atrasando o resultado.

 

O Tabaco e a Pele 

- Sabia que o tabagismo é mais responsável por alterações na pele do que o excesso de sol? Estudos mostram que as fibras elásticas da pele dos pacientes fumadores são afectadas em 100%. A nicotina destrói as fibras de colageno e elatina, favorecendo a flacidez e consequentemente levando ao envelhecimento precoce.

- A pele da face de um fumador tem aparência acinzentada, com rugas, vincos, linhas nos cantos dos olhos, à volta dos lábios, numerosas linhas superficiais nas bochechas e região mandibular, proeminência óssea, aprofundamento das bochechas e atrofia da pele. Esta aparência é causada tanto pelo efeito do fumo em si como do efeito do acto de fumar.

- O cigarro diminui a irrigação sanguínea da pele, prejudicando a sua oxigenação. Como consequência, as fibras de sustentação deterioram-se causando rugas profundas e aparência envelhecida da pele.

- O fumo também está associado ao aparecimento de celulite pela sua influência na circulação sanguínea e excesso de toxinas que acabam por propiciar a formação de depósitos de gordura e consequentemente o temível efeito “casca de laranja”.

- O fumo seca os cabelos, deixando-os sem brilho.

Se decidir parar de fumar deve saber que a melhoria da sua pele não será imediata e que os tratamentos dermatológicos o irão ajudar a melhorar o seu aspecto.

 

Criámos o programa mais completo para o ajudar a deixar de fumar.

 

Programa Completo  Múltiplas Abordagens

Juntámos abordagens comprovadas como eficazes para deixar de fumar.

Sessões individuais (12 sessões) - Contexto de aprendizagem de estratégias, partilha de experiencias e procura de soluções.

Biofeedback e Neurofeedback - 7 sessões individuais, para avaliar o nível de tensão perigosamente reactiva e alterar o estado fisiológico interno que leva ao consumo, eliminando ou reduzindo a vontade e o impulso para fumar.

Nutricionista (3 sessões) - Para que não corra o risco de aumentar em peso o que diminuir em cigarros consumidos. Ajudará a conhecer alguns alimentos calmantes e que ajudam na cessação.

 

Vantagens do Programa Respirando

- Ao longo de 6 meses poderá aprender um conjunto de estratégias que o ajudarão a deixar de fumar. Pode treinar técnicas de relaxamento que lhe irão ser muito úteis sempre que surgir o impulso para fumar, técnicas de motivação, aprender a monitorizar as suas reacções e consumos e criar alternativas viáveis ao hábito.

- Apoio de recaídas durante 4 meses – Estudos indicam que quem deixa de fumar faz entre 4 a 7 tentativas antes de o conseguir. Isto significa que as recaídas têm que ser prevenidas. Durante estes 4 meses vamos apoia-lo nas dificuldades e ajudá-lo a rapidamente inverter eventuais deslizes.